Apps para ajudar na condução

APP

A utilização de apps para ajudar na condução está a ter uma grande adesão por parte dos condutores portugueses, seja derivado à maior oferta de apps, seja pela maior penetração dos smartfones no mercado móvel.

Atualmente é possível descarregar aplicações sobre quase tudo o que se relaciona com a condução, com o trânsito, com as zonas em obras, até permite selecionar os melhores trajetos, os mais económicos ou os mais rápidos.

Uma área onde a oferta era mais limitada era a da condução considerada mais avançada, fosse na vertente defensiva, fosse na vertente ecológica, mas diversas empresas começaram a desenvolver e apresentar propostas nessas áreas.

Por intermédio de módulos de aprendizagem em vídeo, o instruendo tem a oportunidade de obter novos conhecimentos ou relembrar-se dos mesmos, atualizando os seus conhecimentos relativamente às técnicas e práticas de condução automóvel.

Outras aplicações mais viradas para a vertente ecológica e de economia de combustível, e já agora porque não de redução do desgaste da viatura, estão a ser colocadas à disposição do público em geral, permitindo que seja possível economizar nas suas deslocações diárias.

A metodologia de funcionamento por detrás destas apps é geralmente a que o condutor interessado descarrega para o smartfone, lê, aprende e depois ao conduzir aplica esses conhecimentos.

No entanto algumas essencialmente as que monitorizam a eficiência da condução na vertente dinâmica e que por isso estão ligadas ao GPS, informam em tempo real as opções do condutor em virtude das alterações de velocidade mais brusca ou suaves.

Boa utilização das apps

Estas aplicações podem ser uma grande ajuda se a informação disponibilizada seja simples, intuitiva e relevante, pois como a Ferrari referia para os seus modelos de competição, informação que não cumpra esses critérios são distração.

Voltando às apps para ajudar na condução, como em qualquer formação específica estas demonstram um conjunto de técnicas que possibilitam ao condutor melhorar o seu desempenho na estrada, possibilitando o aumento do nível segurança ao de todos.

A qualidade da circulação automóvel, a também chamada fluência do trânsito, acaba sendo beneficiada com uma consciencialização dos automobilistas para não conduzirem de forma impulsiva e agressiva.

Utilize as apps de forma responsável, algumas técnicas ensinadas são de utilização exclusiva em manobras de recurso, para evitar acidentes ou reduzir a gravidade de acidentes inevitáveis, mas nunca numa condução normal.

O bom uso dado às apps desenvolvidas para ajudar na condução, depende em primeiro lugar do criador da aplicação que deverá torna-la o mais clara e intuitiva possível mas, na minha opinião, nunca pode ser descurada a vertente prática.

Após sabermos a teoria e o porquê de como algo funciona de determinada forma, deveremos passar à prática e nada melhor que fazê-lo num espaço próprio e principalmente acompanhado de quem sabe. Utilize os serviços das escolas de condução defensiva existentes no país.

Coimas pelo uso durante a condução

Em 2012 foram 55.000 condutores os autuados em Portugal, pela utilização do telemóvel durante a condução. O que se traduz numa média de 150 coimas por dia, estes são dados oficiais apurados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

A infração de conduzir ao utilizar telemóvel é considerada grave, de acordo com o Código da Estrada, e sancionado com uma coima mínima de 120 euros. Um valor já significativo, representa cerca de 25% do ordenado mínimo português.

O Código da Estrada, no seu artigo 84.º, determina que é proibido “ao condutor utilizar, durante a marcha do veículo, qualquer tipo de equipamento ou aparelho suscetível de prejudicar a condução, a não ser que estejam equipados com auricular-mono ou sistema de alta voz, e cuja utilização não implique manuseamento continuado”.

Se anteriormente a maioria dos condutores autuados estavam a falar ao telemóvel, atualmente são cada vez mais os casos de utilização não só para o envio de SMS, mas para consultar e actualizar os perfis em páginas socias.

Como é possível que tantos condutores continuem a ser apanhados em situações que todos sabem de antemão que gerará coimas? Será que o proveito ou prazer de utilizar os equipamentos e respetivas aplicações se sobrepõem aos custos?