Ar condicionado bem mantido, condução segura

 

air-conditioning-2

 

Estamos no verão, época do ano em que mais utilizamos o sistema de ar condicionado do veículo. Até mesmo para a segurança rodoviária convém que este sistema esteja em boas condições de funcionamento. Desta forma sentir-se-à mais confortável dentro do carro a caminho das férias e vai prestar mais atenção ao trânsito.


Faz parte da moldura do carro e é impensável vivermos sem ele. Falamos-lhe do ar condicionado que permite arrefecer o habitáculo até à temperatura ideal no verão, e aquecê-lo no inverno, no caso de ser necessário. Para além de refrescar ou aquecer, a climatização permite também desembaciar os vidros com enorme rapidez, pois quando este funciona a 100%, desumidifica o ar.
Com uma utilização frequente (há quem o tenha ligado no carro o ano inteiro) o sistema de climatização começa a perder eficácia: ou porque o filtro de habitáculo está sujo ou porque o próprio sistema vai perdendo o gás (que dá pelo nome de R134a).

Quando qualquer uma destas situações acontece é facilmente percetível. Ou porque o ar condicionado não faz frio ou porque os cheiros que passam para o habitáculo quase o deixam maldisposto.

O que pode fazer? Ou carrega o ar condicionado, tarefa que pode ser executada em qualquer oficina habilitada para isso (os carregamentos de gás do ar condicionado custam entre os 25 e os 50 euros) ou comece por substituir o filtro. Pode acontecer que, ao substituir o filtro, o ar condicionado volte a funcionar normalmente.

Conheça alguns segredos do ar condicionado e ainda alguns tipos de filtros de habitáculo.

 

Cuidados a ter com o ar condicionado

1 – Se o seu carro ficar durante um longo período de tempo exposto ao sol, convém abrir todas as janelas para ventilar o interior do veículo por alguns minutos e só depois ligar o ar condicionado e fechar as janelas. É recomendável uma diferença de apenas 5º entre o exterior e o interior do carro. Na maioria dos dias é possível alcançar este objetivo, mas nos dias de maior calor torna-se mais difícil.

2 – Se sentir muito calor ao entrar no carro, nunca ligue o ar condicionado no máximo. O choque térmico pode ocasionar irritação nos olhos e no nariz, deixando-o mais desconfortável para assumir o volante.

3 – Mesmo que o botão de recirculação do ar refresque o carro rapidamente, a sua utilização não é aconselhável por um longo período de tempo, uma vez que o ar acaba por ficar “viciado”, pois a entrada de ar de fora do veículo está “fechada”.

4 – Por causa da acumulação de fungos, bactérias e ácaros nos filtros, é aconselhável trocá-los periodicamente para evitar problemas de alergias e maus cheiros.

5 – À medida que se aproxima do destino é aconselhável diminuir a intensidade do ar condicionado ou até desliga-lo a fim de evitar um choque térmico quando sair do carro.

6 – É recomendável que a cada 20 mil quilómetros seja verificado o nível de pressão do gás do sistema de ventilação, o estado das mangueiras e dos filtros.

7 – O ar condicionado deve ser ligado periodicamente, inclusivamente no inverno, a cada 15 dias ou mesmo uma vez por semana para evitar danos no compressor e nas mangueiras, que podem ficar ressequidas.

8 – Para obter uma refrigeração mais eficiente, opte por uma velocidade média de ventilação. Nunca coloque a força da ventoinha no máximo, nem no mínimo. Deixa-a numa velocidade mediana.

 

FiltroAr

 


Que tipos de filtros de habitáculo conhece?

Existem dois tipos de filtros de habitáculo. Os filtros normais, mais baratos, e os de carvão ativado, mais dispendiosos, mas mais eficazes. Os filtros são os responsáveis pela filtragem correta de todas as substâncias nocivas do ar exterior, no entanto a sua capacidade de absorção é limitada. De forma a manter a máxima eficácia, aconselha-se a substituição dos mesmos antes da primavera, no início da chamada “época das alergias”. Por outro lado, recomenda-se também a utilização de filtros de carvão ativo em vez de filtros normais, uma vez que a sua camada ativa – feita de casca de coco – e a sua estrutura esponjosa, retém não só partículas, pólen e pó, mas também gases poluentes como o ozono e o óxido de azoto. O material de filtragem utilizado é composto por três camadas: uma camada de carvão ativo colocada entre duas camadas de fibras não tecidas.