As infrações mais perigosas ao volante

São várias as vezes que cometer uma infração ao volante não implica pagar só uma multa. Há ocasiões em que as infrações podem causar feridos e mortos. Passamos em revista as infrações mais perigosas.

1 – Distrações na condução
São a causa mais habitual de vários tipos de acidentes, desde situações que englobam feridos e mortes e acidentes sem consequências graves. Dentro deste capítulo das distrações incluímos a utilização do telemóvel, ler jornais e revistas, escrever, deixar objetos pesados à solta dentro do carro ou conduzir com animais à solta no veículo.
Esta é a causa de acidentes que mais tem crescido nos últimos tempos, principalmente as relacionados com a utilização do telemóvel. Marcar um número de telefone ou ler uma mensagem leva cerca de cinco segundos ou seja se circularmos a 120 km/h, percorremos 166 m sem qualquer concentração na condução.

2 – Ultrapassagens perigosas
As infrações nesta categoria incluem ultrapassagens pela direita ou em zonas de traço contínuo, em curvas de visibilidade reduzida ou ultrapassar um veículo que iniciou a ultrapassagem a um terceiro. Muitas delas causam feridos graves ou mortos.
A ultrapassagem em estrada com duas vias de trânsito em sentidos opostos é a mais perigosa, porque podemos chocar de frente com o veículo que vem no outro sentido. Para que os veículos estejam a circular o menor tempo possível na outra faixa de rodagem durante uma ultrapassagem é preciso que superem a velocidade para aquela via em 20 km/h.

3 – Condução negligente
É considerada condução negligente quando se conduz produzindo risco para si e para os demais ocupantes do veículo. É negligente arrancar a derrapar, fazer uma manobra sem a sinalizar, conduzir de moto paralelamente para os condutores manterem uma conversa. Todas elas supõem um risco maior de acidente.

4 – Manobras incorretas
As manobras incorretas incluem não ceder passagem num cruzamento aos veículos que vêem da direita, não respeitar a circulação dos veículos que circulam, por exemplo, dentro de uma rotunda ou fazer inversões do sentido da marcha em locais que onde não são permitidas.
Como em todas as manobras, o melhor será escolher o melhor local para realizar a viragem ou a curva e escolher a via adequada para o fazer. Em seguida, convém adequar a velocidade à manobra para não colocar os outros condutores em risco. Nas viragens à esquerda, convém deixar do lado esquerdo o centro da intersecção.

5 – Velocidade inadequada
O excesso de velocidade é claramente uma das manobras que mais acidentes com feridos e mortos causa nas nossas estradas. Circulamos a uma velocidade elevada quando não temos em conta todos os fatores que afetam a condução. Por exemplo, senão moderarmos a velocidade quando o piso está molhado, quando há nevoeiro ou quando o trânsito é mais denso. Nestes casos a velocidade excessiva é ainda mais perigosa. E agora, com os leitores de sinais de trânsito dos veículos, esta situação é mais fácil de controlar.

6 – Conduzir sob o efeito do álcool
Conduzir sob o efeito do álcool também é uma das mais graves infrações ao volante. Para além de ficar sem pontos na carta, pode ficar inibido de conduzir de imediato, dependendo da taxa de álcool no sangue. Uma boa parte do condutores que morreram em acidentes de viação, estavam alcoolizados, drogas ou psicotrópicos. Esta é uma infração recorrente e a prestar muita atenção.

7 – Condução temerária
Diz-se condução temerária quando obriga um outro condutor a fazer uma manobra perigosa para evitar um acidente grave. Condução temerária pode ainda ser considerada quando comete na mesma ação várias infrações. Circular muito perto do veículo da frente, travar de propósito para que o veículo atrás de si tenha de travar também, mudar de faixa para que outro carro não possa ultrapassar, tudo isto é considerado condução temerária.
São as condutas negligentes que ocorrem na condução e que colocam a vida das pessoas em perigo. Neste caso podem acontecer penas de prisão.

8 – Não respeitar a prioridade de passagem
Dentro destas infrações podem incluir-se situações como passar um semáforo vermelho, passar uma passadeira de peões com peões no meio ou não parar no stop. Não respeitar a prioridade de um veículo que entrou numa passagem estreita.
Um dos princípios da condução é a confiança e temos de confiar que todos os outros condutores e utilizadores da estrada vão respeitar as regras de trânsito.

9 – Não respeitar a distância de segurança
Uma conduta tão fácil de evitar continua a provocar acidentes, feridos e mortos. Em condições normais devemos conduzir a 50 m do carro da frente ou a dois segundos deste. Quando o carro da frente passa por uma referência fixa, contamos 1.101 e 1.102. Se chegarmos a essa referência antes de terminarmos de contar é porque vamos demasiado perto dele. Depois há circunstâncias que pioram a travagem como a chuva, o estado dos pneus, o cansaço do condutor… entre outras.

Foto: Pixabay.com