Mudar de amortecedores

Os amortecedores são um dos principais elementos da segurança do seu veículo. Ao estabelecer a ligação das rodas à estrada, fornecem uma maior aderência, proporcionando assim, proteção e comodidade ao volante. A sua substituição deve ocorrer antes dos 100 mil km e é uma tarefa que deve ser feita por um profissional. O Circula Seguro conta-lhe como pode perceber se os seus amortecedores estão ou não prontos para serem trocados.

A suspensão de um automóvel desempenha uma função muito importante na absorção dos impactos e vibrações causados pelas irregularidades das estradas, por isso a sua observação e manutenção é aconselhável com relativa frequência. São exatamente os elementos que compõem a suspensão do carro que os condutores têm maior tendência para esquecer. O preço dos componentes são a principal causa no atraso na troca destes elementos.
Como é do conhecimento geral, o grande protagonista da suspensão é o amortecedor e é exatamente esse elemento que merece maior atenção. A forma mais básica de conhecer o estado dos amortecedores passa por uma simples inspeção detetando fugas, marcas ou rasgos. O desgaste de um amortecedor acontece de forma progressiva e lenta, tão lenta que o condutor dificilmente sente as alterações. Existem várias forma de perceber se os amortecedores estão gastos.
A troca dos amortecedores torna-se obrigatória e é uma tarefa que não aconselhamos a fazer em casa. A oficina é, por isso, o melhor local para o fazer, já que tem as ferramentas adequadas e também quem conhece a teoria e a prática do processo, como o mecânico.

Sabe verificar o mau estado dos amortecedores?

1 – O primeiro passo é fazer uma inspeção visual do elemento em si. Suba os guarda pós dos amortecedores para verificar se não existem fugas no êmbolo ou rasgos nos retentores e o-rings.

2 – Sinta a fidelidade da trajetória do automóvel em pisos irregulares e especialmente em curvas.

3 – Nos pisos em mau estado verifique se existem ruídos estranhos. Leve a direção ao batente, se ouvir estalidos ocos é porque os rolamentos do amortecedor já “entregaram a alma ao criador”.

4 – Teste a eficácia dos amortecedores num banco de ensaios. Antes de os substituir faça um teste no ripómetro. O resultado vai dizer-lhe se precisa ou não de trocar de amortecedores.

5 – Não se esqueça de verificar o estado dos pneus e o seu nível e área de desgaste, que terá de ser semelhante nas duas rodas do mesmo eixo. Se houver diferenças assinaláveis, desconfie do estado dos amortecedores.

Recomendações

– Antes de se iniciar a instalação dos amortecedores novos, é preciso verificar se o número de referência do produto é o correto de acordo com a recomendação do catálogo. Confirma-se a marca e o modelo do carro, qual o tipo de veículo (potência do motor) e qual o ano de fabrico (não de registo). Verifica-se ainda, o tipo de eixo (rígido ou independente), o tamanho da base das rodas e o tipo de suspensão (mola helicoidal, de lâminas, etc.).

– Não convém utilizar uma chave pneumática para instalar amortecedores novos. Apertar porcas e parafusos com uma chave pneumática durante a instalação pode danificar gravemente as peças de montagem. Utiliza-se apenas uma chave deste tipo para retirar os amortecedores que precisam ser substituídos.

– Convém utilizar sempre ferramentas seguras e adequadas. Nunca agarrar ou danificar a haste polida do pistão com um alicate ou outras ferramentas. Isto pode deixar marcas, danificando, assim, o vedante da haste e dando origem a fuga de óleo.
Utiliza-se sempre um compressor de molas adequado para prevenir ferimentos graves.

– Experimenta-se sempre o amortecedor puxando a haste do pistão para fora e empurrando-a de novo para dentro várias vezes antes de proceder à montagem para evacuar o ar no seu interior. Este exame tem de ser feito com o amortecedor colocado na posição em que vai ficar quando for montado no carro (quase sempre na vertical).

– Utilizar uma chave dinamométrica para apertar as porcas e os parafusos de acordo com os binários de aperto indicados nas folhas de instruções de montagem. Um aperto excessivo pode danificar as peças de montagem, causando uma avaria prematura nos amortecedores.

– Para um ótimo conforto na condução e máxima aderência à estrada, é necessário realizar um alinhamento de direção e equilibragem de pneus imediatamente a seguir à colocação dos amortecedores novos.

Fotos: Pixabay