Agarre-se ao cinto de segurança, agarre-se à vida

Agarra o teu filho à vida

Com o regresso às aulas, o movimento de veículos nas estradas aumenta consideravelmente, por força da necessidades de muitos pais transportarem os seus filhos até ao espaço escolar. Esta realidade associada ao facto de existir alguma pressa por parte dos progenitores dos estudantes, faz com que o risco de acidente aumente.

Desta feita, é expectável que hajam mais situações de risco nas imediações dos centros escolares, uma vez que os pais condutores deixam os seus filhos, por vezes, a uma distância que poderá espaçar uns cinquenta metros do local de entrada ao complexo educacional.

O perigo no acidente, mesmo a abaixa velocidades

Uma vez que a pressa dos pais é sempre muita, por vezes, os passageiros menores, retiram o cinto de segurança antes do veículo se imobilizar. Isso faz com que o risco de ferimentos graves aconteçam, mesmo a baixa velocidade do próprio veículo.

Isto acontece, por que ao circular, mesmo a baixa velocidade, está o condutor sempre sujeito à velocidade e comportamentos de outros condutores menos cuidadosos e, em caso de embate, o veículo que circula devagar irá absorver parte da energia produzida pelo impacto das viaturas.

Se, por alguma razão, os passageiros já estiverem sem cinto de segurança, serão projectados dentro da viatura, como bolas de ping-pong, sofrendo e promovendo nos restantes passageiros, ferimentos graves ou morte. Assim, deverá o condutor do veículo garantir que nenhum passageiro retira o cinto de segurança antes da viatura parar, assim como garantir um lugar de paragem adequado e seguro.