Relembrar o básico para uma condução segura (1): Intoxicações

speeding
As melhorias na tecnologia tanto a nível dos automóveis como da construção das estradas melhorou a experiencia da condução, mais pessoas conduzem com mais comodidade e por distâncias cada vez maiores, muitas dessas pessoas afirmam que já praticam uma condução segura.

Nós conduzimos carros mais seguros, em estradas mais seguras, ouvimos décadas de publicidades e campanhas de informação pública sobre condução segura, como resultado disso os números de acidentes baixaram, os mortos e feridos diminuíram, mas será que ainda nos lembramos do básico?

Acha que sim? Se todos nos lembramos do básico, e apesar da redução, então porque acontecem ainda tantos acidentes? E mais, porque é que a maioria dos acidentes é resultado de erro humano?

É um fato que a melhor maneira de reduzir o risco de estar envolvido em um acidente é a prática de comportamentos de condução segura. Se está apenas aprendendo a conduzir ou já é experiente atrás do volante, é uma boa ideia rever algumas regras básicas.

Intoxicações

Cada vez as campanhas de prevenção focam-se na prevenção da condução intoxicado por álcool, porém cada vez mais casos são detetados de condução sob o efeito de outros produtos intoxicantes.

Ainda assim os dados estatísticos disponíveis referem-se basicamente a intoxicações de álcool, por exemplo mais de 30 por cento de todas as mortes de acidente de automóvel nos Estados Unidos envolvem condutores sob a influência de álcool. Só em 2008, estes acidentes ceifaram a vida a 11.773 pessoas, segundo a norte americana National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA).

É relativamente fácil evitar conduzir bêbado ou intoxicado. Se beber ou se achar que está intoxicado, peça a um amigo que não esteja para o levar a casa ou chame um táxi. Se está planeando sair em grupo e prevê que vão acabar intoxicados, verifique se tem um condutor designado, para que essa pessoa esteja em condições de trazer o grupo de volta a casa sem perigo.

Se verificar que um amigo seu está intoxicado não hesite em alerta-lo e dissuadi-lo de conduzir, ofereça-se para leva-lo ou para pagar o transportea casa, no dia seguinte ele estará novamente na posse total das suas faculdades e concerteza que agreadecerá pela sua atenção no dia anterior.

Os diversos produtos intoxicantes causam deficiências na nossa capacidade de conduzir corretamente e que originam acidentes de automóvel. Até mesmo em baixos níveis de intoxicação aumenta o tempo de reação, reduz a coordenação e geralmente também as inibições, o que pode levar os condutores intoxicados a fazerem escolhas erradas e perigosas.

O lema “Se beber não conduza” deveria ser atualizado, pois a panóplia de substâncias usadas hoje em dia aumentou substancialmente, as drogas estão, infelizmente, cada vez mais presentes no dia a dia dos portugueses, e não são só os mais jovens a consumi-las. Temos que encarar o problema de frente e defender que a condução sobre a influencia de substancias intoxicantes deverá ser mais ativamente controlada, para a segurança de todos nós.

Fotos | Alex G