Como evitar acidentes provocados por erros alheios

2176283_b3aa1ee6ed_b

Sempre que circula na via pública mesmo estando atento à forma como conduz, cumprindo regras e obedecendo à sinalização existente, está sujeito a ver-se envolvidos num acidente provocado por terceiros.

A postura a adotar deverá evitar que isso aconteça, diminuindo as probabilidades que nos vermos envolvidos num acidente que não provocamos.

Para reduzir o risco de se ver envolvido num acidente, deverá perceber qual a sua atitude na estrada, adotando uma condução defensiva, atenta aos perigos provocados por outrém e assim agir para que as ações não sejam uma surpresa e para que possa agir de forma a evitar os acidentes.

Como evitar acidentes provocados por erros alheios

Abrande, reduza a velocidade, quanto maior velocidade levar na sua condução menos tempo dispõe para reagir e pode ainda aumentar a probabilidade do acidente acontecer. Lembre-se que, quanto mais rápido circula mais difícil será reduzir a velocidade ou imobilizar o veículo que conduz, e quando não é possível desacelerar ou parar no espaço que está à sua frente corre o risco de se envolver num acidente.

A condução defensiva também consiste em garantir harmonia no fluxo de trânsito, deixe que outros passem à frente em vez de defender ferozmente a sua posição no meio de uma fila de trânsito. Aceite o facto de que alguém possa estar com mais pressa do que você e afaste-se dele.

Conduza com as duas mãos no volante e bem posicionadas, assim, terá mais controlo sobre o carro. Em caso de emergência, poderá manobrar mais agilmente e de forma mais eficaz, os décimos de segundo que perde pode significar a diferença entre estar em segurança e sofrer um acidente.

Mantenha uma distância de 2 segundos do carro que o precede, menos do que isso e não terá tempo para parar, este conselho é especialmente importante nas horas de trânsito mais intensas, mesmo que isso implique que de vez em quando perca uma “posição” porque alguém se meteu no espaço à sua frente.

Sinalização, sinais e indícios

Cumpra as indicações dos sinais de trânsito, mas também use a sinalização do seu veículo adequadamente, utilize sempre o pisca, mesmo quando pensa que não há ninguém por perto. Se o fizer por hábito não importa se está mais alguém na estrada ou não, sinalize todas as suas manobras!

Por exemplo, ao mudar de faixa de rodagem, não ligue o pisca somente durante, ou até depois de começar, a mudança de faixa, quem o segue não terá hipóteses de “ler a sua mente” a tempo de agir de forma a evitá-lo, sinalize a manobra pelo, menos alguns, segundos antes.

Quando circula numa estrada já reparou, com certeza, nas marcas de travagens na aproximação a curvas, cruzamentos e entroncamentos? Sabe porque estão lá? Alguém necessitou de efetuar uma travagem de emergência, independentemente do motivo, esses indícios dos problemas de outros em determinado momento podem e devem ser usados por si para se precaver, tendo a noção que o local pode ser perigoso, ou esconder alguma surpresa desagradável.

Observe, não se concentre somente no carro à sua frente, mantenha os olhos em movimento, verifique o trânsito atrás de si, verifique o posicionamento dos restantes veículos na estrada e o seu movimento, se algum apresentar um movimento estranho ou errado, afaste-se dele.

Cuidados básicos de segurança

Não facilite, use sempre o cinto de segurança, as crianças devem sempre viajar sentadas numa cadeirinha ou assento especial, até que tenham altura e peso suficientes para estarem no banco normal da viatura, atenção aos airbags verifique a “compatibilidade” com as cadeirinhas.

Quando estiver a conduzir, conduza. Evite conversas demasiado envolventes ou discussões com outros passageiros, o seu foco irá mudar da estrada para com quem está em “conflito”, ao abstrair-se da condução o risco dispara. Não deverá conduzir com perturbações emocionais, ansiedade, irritação ou medo, evite pensar na solução dos problemas enquanto conduz.

Da mesma forma tentar alcançar objetos dentro do veículo enquanto conduz, mudar a estação de rádio, a faixa de música, manipular outro acessório de entertenimento, acender cigarros e espantar insetos com o veículo em movimento são um conjunto de distrações que podem causar acidentes.

Não aceite que um condutor bêbado o leve ao seu destino, mesmo que seja perto, há táxis, transportes públicos ou amigos a quem pode chamar para ajudá-lo. Da mesma forma não há razão para conduzir quando está alcoolizado.

Lembre-se que é perigoso conduzir com sono e que alguns medicamentos podem causar sonolência, dificultando a condução. Se começou a tomar uma nova medicação, pergunte ao seu médico se é seguro conduzir.

Foto | Kevin Hutchinson