Conselhos para lutar contra a fadiga ao volante

Saiba como prevenir a fadiga ao volante e evitar possíveis problemas nas suas viagens. Sempre que estiver cansado deve descansar antes de iniciar qualquer viagem, ou ao longo da mesma.

Preste atenção especial às grandes deslocações. A sua segurança e aquela de quem viaja consigo depende da forma como se prepara para lutar contra a fadiga ao volante. O Circula Seguro deixa-lhe alguns conselhos.

Para começar vamos enumerar as principais causas de fadiga. Assim fica de imediato claro o que deve evitar. Depois poderá ler os conselhos para lutar contra a fadiga ao volante. Terminamos com a constatação dos sintomas que poderá sentir caso se exceda.

As principais causas de fadiga

– Longas horas de condução;
– Monotonia provocada pelo traçado da via;
Posição desconfortável ao volante;
– Défice de horas de sono;
– Grande esforço físico;
– Trabalho intelectual intenso;
– Ingestão de bebidas alcoólicas ou drogas;
– Ingestão de alguns tipos de medicamento:
– Estado de stress;
– Estado de doença;
– Estar sujeito a temperaturas extremas;
Deficiente arejamento do habitáculo do veículo;
Refeições pesadas;
– Condução noturna;
Deficiências visuais não corrigidas.

Conselhos para lutar contra a fadiga ao volante

A sua aptidão para a condução depende de diversos fatores, entre eles o descanso. Garanta que inicia todas as viagens em plenas condições. É por isso que deve de dormir aproximadamente oito horas durante a noite anterior a uma grande viagem. Inicie-a bem repousado, descanse adequadamente na noite anterior.

Opte por percorrer poucos quilómetros depois de um longo dia de trabalho. Divida as viagens mais longas e não estabeleça hora de chegada, só irá criar stress caso não consiga cumprir o previsto. Inclua paragens estratégicas no seu itinerário, para descansar e repor energias. Evite conduzir durante períodos excessivamente longos, preveja uma paragem a cada 200 quilómetros, ou após duas horas.

Pare a viatura e mexa-se um pouco. Lembre-se que os últimos quilómetros são sempre os mais difíceis e mais propícios a desatenções. Estima-se que, após 2 horas de condução contínua, o tempo de reação do condutor duplica. Naturalmente a distância de reação aumenta, necessitando de uma maior distância de segurança.

Ajuste o banco de forma a sentar-se confortavelmente, conseguindo alcançar todos os comandos. Não ingira bebidas alcoólicas, nem drogas. Lembre-se que alguns medicamentos podem provocar sonolência, leia a respetiva bula.

Caso necessite de recuperar a energia, coma uma refeição ligeira, antes e nas paragens durante a viagem. Refeições pesadas provocam letargia. O seu corpo deverá estar bem hidratado, água é vida! Pode levar água engarrafada consigo, ou recorra a estações de serviço e hidrate-se.

Faça os possíveis para que a temperatura dentro do veículo seja adequada. Evite o frio ou o calor excessivo. Os peritos sugerem que a temperatura deverá rondar entre os 21 e os 24 ºC dentro do habitáculo. Mantenha o veículo bem arejado.

A utilização de óculos de sol ao volante reduzirá notavelmente a sua fadiga visual. Caso seja necessário, lembre-se de usar adequadamente a pala para reduzir o encadeamento pelo sol.

Não tente resistir à fadiga, nem ao sono. Pare e durma um pouco, ou passe a tarefa de conduzir a outra pessoa. A fadiga e a condução são absolutamente incompatíveis. Seja consciente das suas limitações.

Não ultrapasse os seu limites

Quando estamos a abusar das capacidades do nosso corpo, este demonstra uma série de sinais de exaustão e fadiga. Esta é uma lista dos sintomas que poderá sentir:

Bocejos frequentes;
• Dificuldade de concentração;
• Dificuldade em manter os olhos abertos e em focá-los;
• Sensação de picadas nos olhos ou de olhos pesados;
• Sensação de entorpecimento e cãibras;
Impaciência;
Mau humor;
• Dificuldade em manter a cabeça direita;
• Sensação de reagir com mais lentidão;
• Dificuldade em reter em memória acontecimentos imediatamente anteriores;
• Pensamentos desconexos;
• Sensação de sonhar acordado;
• Mudanças bruscas de velocidade;
• Alterações no desempenho da condução;
• Sensação de que todos os outros condutores conduzem mal;

Os principais efeitos da fadiga

Conhecendo já as causas e os sintomas falta conhecer os efeitos da fadiga na capacidade de conduzir. Caso tenha a noção que está a sofrer dum destes sintomas deverá parar e descansar:
• Aumento do tempo de reação;
• Perda de vigilância em relação ao meio envolvente;
Lentificação da resposta reflexa;
• Diminuição da capacidade de decisão;
• Perturbações na visão;
Períodos de ausência de 1 a 4 segundos com os olhos abertos;
• Aumento da sensação de esforço;
Menosprezo pela sinalização e dificuldades na sua descodificação;
• Dificuldade em manter a trajetória do veículo.

Foto | Joonas Tikkanen,