Crime de atropelamento e fuga resolvido graças à internet

Nos EUA, a polícia procurava resolver um atropelamento mortal e fuga. A ajuda pedida pelas redes sociais foi decisiva para desvendar o crime.

A internet tornou o mundo numa aldeia, com tudo o que isso tem de bom e de mau. O caso que aqui trazemos é um exemplo das virtudes da utilização da internet em prol do bem comum e até da resolução de um crime rodoviário.
A história vem do outro lado do Atlântico, dos EUA, com a polícia do Estado de Washington a deter um indivíduo envolvido num atropelamento mortal de um ciclista por parte de um carro conduzido por alguém que fugiu. 
A particularidade é que a polícia só conseguiu resolver o caso e chegar à identificação do autor desse atropelamento, depois de ter pedido ajuda aos utilizadores da internet, no sentido destes fornecerem pistas sobre qual o modelo automóvel do qual seria proveniente um bocado de uma peça que se encontrava no local do acidente.

Apelo lançado via twitter

Na conta de twitter, a polícia, que procurava apenas um veículo de cor preta, fez o pedido de ajuda para tentar resolver este caso de atropelamento e fuga, mostrando a peça como sendo a única evidência que restava do crime: um pedaço de plástico preto.
A foto acabou por ser divulgada noutra rede social, o Reddit, tendo sido aí que um utilizador, outroura um inspetor de automóveis do Estado de Maryland, se interessou pela peça em causa.
Esse cibernauta conseguiu perceber que tipo de componente se tratava (do mecanismo de regulação de faróis de uma carrinha dos anos 1980), avançando, de seguida, para a investigação de qual o carro ao qual deveria pertencer.
Este cidadão começou por suspeitar de um Dodge e ao consultar fotos de um Ram acabaria por chegar a uma pickup Chevrolet, de 1988, que se haveria de comprovar como tendo sido a viatura envolvida neste acidente fatal.
Munidos de todos estes dados, os polícias locais conseguiram encontrar o veículo e deter o condutor.
É, claramente, uma história fantástica que poderia pertencer ao enredo de um filme, mas que, de facto, aconteceu na realidade!