Dummies para crash tests (4)

Crash-Tested Volvo C30 Electric

Todos os anos morrem nas estradas de todo o mundo aproximadamente 1 milhão de pessoas, ou seja, 10% da população portuguesa, só em acidentes rodoviários. Para reduzir o flagelo desses números, as marcas de automóveis e as instituições responsáveis pela segurança rodoviária, tentam fazer evoluir as viaturas. Para isso utilizam uns bonecos chamados dummies para crash tests.

Na primeira parte deste tema falei sobre os primórdios da segurança automóvel, dos voluntários e dos cadáveres utilizados, na segunda parte foram os dummies própriamente ditos, quais os modelos mais usados na indústria automóvel e suas caraterísticas, na terceira falei sobre os modelos virtuais que as grandes marcas usam. Nesta quarta parte veremos que entidades estão envolvidas nas certificações. Será que as conhece?

O que é o NCAP?

Trata-se das iniciais de New Car Assessment Program, ou Programa de Avaliação de Carros Novos, na verdade  é um programa de segurança governalmental encarregado de avaliar novos projetos de automóveis para o desempenho contra diversas ameaças de segurança.

O primeiro NCAP foi criado em 1979, pela agencia americana, United States National Highway Traffic Safety Administration, ou seja, a Administração Nacional de Segurança do Tráfego Rodoviário dos Estados Unidos. Este programa foi criado para incentivar os fabricantes a construir veículos mais seguros e os consumidores a comprá-los.

Com o tempo, esta agência melhorou o programa inicial, adicionando programas de classificação, facilitando o acesso aos resultados dos testes, e revisão do formato da informação para tornar mais fácil para os consumidores a entenderem. Este programa tem influenciado os fabricantes a construir veículos que consistentemente atinjam altas classificações.

Atualmente é usado um sistema de estrelas, fácilmente indentificável pelos compradores, onde cinco estrelas corresponde ao máximo que pode ser atingido e carateriza um veículo reconhecido pela instituição como sendo seguro e que atinge os parâmetros pretendidos.

Os vários NCAP

O programa europeu, EuroNCAP, foi fundado em 1997 pelo Transport Research Laboratory for the UK Department for Transport, em português é o Laboratório de Investigação de Transportes para o Departamento do Reino Unido para os Transportes e foi apoiada por vários governos europeus, bem como pela União Europeia.

Com sede em Bruxelas, na Bélgica, este programa europeu foi inspirado no programa norte-americano. Existem outras áreas no globo com programas semelhantes, mas não iguais, como por exemplo a Austrália e Nova Zelândia com ANCAP , a América Latina com a LatinNCAP e China com C-NCAP.

Na década de 2000, a agência americana procurou melhorar a divulgação das classificações NCAP e, fê-lo através da emissão de uma regra, obrigando os fabricantes de automóveis a colocar a classificação NCAP, com as estrelas obtidas na ficha de preço do automóvel novo, essa regra entrou em vigor no primeiro dia de setembro de 2007, nos Estados Unidos.

A evolução dos testes

O primeiro teste NCAP foi efetuado a 56km/h e foi uma colisão frontal padronizada, realizada a 21 maio de 1979, nos Estado Unidos, e os primeiros resultados foram divulgados a 15 de outubro daquele ano.

Atualmente os testes frontais são executados a 64 km/h de encontro a uma barreira deformável, isto é projetado para representar um impacto com um veículo de massa e estrutura semelhantes ao próprio carro.
Os testes de impacto lateral são realizadas a 50 km/h mas o teste de impacto lateral, contra um poste, é realizado a 29 km/h. Os testes de segurança de pedestres são realizados a 40 km/h.

A 1 de janeiro de 2009, eles adotaram o impacto traseiro, como parte de seu novo conjunto de crash tests. Este novo sistema de classificação também se concentrou mais da pontuação total e na protecção dos peões. Os dummies são os medidores das forças envolvidas nestes embates, conseguindo determinar a gravidade das lesões sofridas.

Este ultimo sistema foi criado porque na EuroNCAP estavam preocupados, porque os fabricantes de automóveis estavam obcecados na segurança dos ocupantes e não a segurança das pessoas fora do veículo. Os resultados dos primeiros carros a serem testadas sob o novo modelo foi lançado em fevereiro de 2009.

Os mais famosos

São dois os parâmetros mundialmente mais conhecidos, até pela dimensão das suas indústrias, o sistema europeu, EuroNCAP, que exige uma colisão de 40% da dianteira do veículo contra um obstáculo deformável feito de alumínio, a 56 quilômetros por hora e o americano, IIHS, que exige um embate frontal a 48 quilômetros por hora contra uma barreira indeformável.

Se repararem a norma diz 56km/h e os testes já são efetuados a 64km/h, isto deveu-se à necessidade de aumentar a exigência aos construtores de automóveis, pois a quantidade de veículos a atingir 5 estrelas começava a ser muito grande, deixando de haver uma diferenciação entre eles.

Portanto quando adquirir uma viatura de 2000, que tinha obtido 5 estrelas na época, lembre-se que essas 5 estrelas não correspondem a 5 estrelas de um modelo atual, pois houve uma evolução dos critérios, para além da fadiga normal a que um modelo usado esteve sujeito e que terá provocará um comportamento diferente em caso de embate.

Fotos | Mariordo59