Uma formação sénior para melhorar a dinâmica rodoviária

Formação sénior para melhor qualidade rodoviária

Com o passar da idade, de forma natural, cada um de nós vai perdendo as suas capacidades motoras. Isso deve-se ao facto do nosso organismo ir ficando cada vez mais debilitado, assim como a nossa mente. Os reflexos baixam, ou seja a capacidade de reação diminuí.

Esta é uma realidade que todos conhecemos mas à qual resistimos, simplesmente por medo de nos chamarem “velhos” ou “acabado”. Insistimos em defender que a experiência de uma vida e os tantos anos que levamos como condutores nos trazem um saber supremo, capaz de nos tornar imunes a qualquer situação de trânsito mais complicada.

Uma formação sénior para maximizar os saberes séniores

Sabendo-se que as capacidades de cada um de nós vão enfraquecendo, após uma determinada idade, não uma idade determinada, mas uma idade que vai surgindo com o tempo e se vai refletindo nos comportamentos rodoviários ao longo do percurso.

Acontece que a falta de uma formação cívica e rodoviária adequada à classe sénior, tem como consequências uma posição negativa no contexto rodoviário, com conflitos eminentes e posturas erradas. A condução não se enquadra com as regras de segurança rodoviária, sendo, inclusive, criadas regras novas com base numa experiência errada.

Formação sénior

Se fosse desenvolvido um programa formativo enquadrado com o tempo legal para actualização da carta de condução, um programa sénior que estipulasse a frequência de horas de formação teórica e prática, para melhorar o conhecimento e estimular a prática de cumprimento das normas de trânsito.

Com uma formação sénior bem enquadrada e adaptada ao avanço da idade dos formandos, a taxa de sinistralidade rodoviária sénior diminuiria e as melhorias gerais de tráfego aumentariam. Teríamos condutores seniores mais conscientes das suas dificuldades e mais compreensivos das reais necessidades de melhorarem os seus conhecimentos rodoviários.

Se tal como outros países, Portugal, implementasse a formação sénior na revalidação das cartas de condução, formação teórica e prática, progressiva nos horários de frequência, conseguiríamos a médio/ longo gente mais responsável, não apenas na idade mais avançada, mas também na classe mais jovem.

Foto¦ Zona S