Guiar demasiado próximo do veículo da frente é um grande perigo

As câmaras de um carro-patrulha no Reino Unido captaram um choque em cadeia causado pelo facto dos condutores irem a guiar demasiado perto uns dos outros.

No Reino Unido, as autoridades têm vindo a alertar para os perigos de se guiar demasiado encostado ao veículo da frente.

Imagens reais captadas por uma câmara a bordo de um veículo-patrulha parado na berma da estrada M6, em Inglaterra, mostram bem que o não guardar uma distância de segurança para os veículos é um passo à frente para se estar envolvido num acidente, por vezes de consequências dramáticas.

“O condutor de um veículo em marcha deve manter, entre o seu veículo e o que o precede, a distância suficiente para evitar acidentes em caso de súbita paragem ou diminuição de velocidade deste, tendo em especial consideração os utilizadores vulneráveis” – artigo nº 18º do Código da Estrada

O filme que acima disponibilizamos, evidencia bem a rapidez com que tudo acontece, ainda para mais quando as condições de visibilidade não são as melhores.

A filmagem mostra vários veículos a travar de forma mais brusca, alguns dos quais acabando por bater, incluindo um pesado de mercadorias.

Quando a distância de segurança não é mantida, os condutores não são capazes de reagir e de parar o veículo atempadamente, caso seja necessário imobilizar a viatura.

Outro fenómeno que se verifica é que quando um condutor sente que está a ser pressionado por outro condutor que está colado a si (e aqui é o veículo de trás que não mantém a distância de segurança para si) tende ele próprio a distrair-se com a ameaça, tornando-se mais propenso a cometer um erro.

Nessa eventualidade, o mais sensato será evitar acelerar (se acelerar, o condutor que o persegue tende a acelerar ainda mais, mantendo-se colado a si), evitar desacelerar (isso poderá irritar quem o segue) ou evitar olhar fixamente no espelho retrovisor (para não se distrair e para, dessa forma, reduzir o risco para si próprio, conduzindo tão normalmente e na maior segurança quanto possível). Assim que tiver possibilidade, sinalize a manobra e permita que as pessoas ultrapassem sem fazer nenhuma manobra brusca.