Quando a moto é ferramenta de trabalho. Conduzir com segurança

transito_moto

As motos são veículos bastante adaptados à circulação citadina, sendo, por isso, muito procurados pelos mais variados profissionais para garantirem que conseguem cumprir horários, fazer entregas e chegar mais depressa a diferentes locais, já que enquanto os automóveis ficam parados nos engarrafamentos, os motociclos furam por entre os carros e avançam. Mas será que isso é sempre feito com segurança?

Relativamente a um automóvel, as motos expõem mais os seus condutores. Um toque a 20 km/h em cima de uma moto comporta consequências muito mais sérias para os seus ocupantes do que se esse tipo de acidente ocorrer num automóvel.

Para conduzir uma moto em segurança, há algumas regras que devem ser tomadas em consideração. Descrevemos, de seguida, algumas delas.

Capacete integral e fechado

Conduzir uma moto com segurança começa em algo tão simples quanto ter um bom capacete, luvas, blusão e botas.
roupa_moto_1
É equipamento que o protege (se for de boa qualidade) ou de que nada ou pouco lhe servirá num acidente (se for de má qualidade). Para sua segurança, priviligie um capacete integral e utilize-o corretamente: fechado, ajustado e com a fivela posta. Se não fizer isto, é quase como se não tivesse o capacete posto. Uma lesão na cabeça pode, facilmente, ser fatal.

Ter “mil olhos” a tudo o que se passa

Uma das regras de ouro do motociclista é “ter mil olhos” e estar hiperconcentrado a tudo o que se passa no ambiente rodoviário. Através dessa concentração consegue antecipar movimentações, estar atento a sinais, veículos, obstáculos e peões. Deve transitar com margens suplementares de segurança para poder responder atempadamente a manobras repentinas de outros automobilistas. Com isso reduzirá os riscos. E quem anda num veículo de duas rodas sabe que, a cada metro de estrada e a cada segundo, pode sempre aparecer uma qualquer surpresa, como um automobilista que decide guinar subitamente o carro sem olhar para o espelho nem fazer pisca.

moto_rolar

Se num automóvel praticar uma condução defensiva é importante para aumentar a segurança da circulação, numa moto esta regra é ainda mais sagrada. Se espera que os outros não façam manobras bruscas, também deverá evitar atitudes que possam não ser percebidas pelos outros condutores. Sinalize todas as manobras que faça. Para sua segurança, não circule também rente aos outros veículos, carros ou até obstáculos. Dê margem de segurança para tudo o que faça. Esta regra é válida quer para a circulação citadina, quer para a circulação em estrada aberta (inclusive, quando procede a uma ultrapassagem, esteja atento à distância lateral).

Concentração é inimiga do cansaço

Para poder estar concentrado, deve evitar conduzir sonolento, cansado e sob o efeito de medicamentos que afetam os estados de consciência.

sujidade_moto

Se ainda não tem muita experiência, deve evitar fazer viagens muito longas, serpentear por entre os carros a grande velocidade ou guiar à noite ou com tempo de chuva. Se tiver uma longa viagem pela frente, faça paragens regulares para descansar.

Cruzamentos são local de risco

Os cruzamentos ou entroncamentos são locais onde o risco de acidentes com motos é elevado. Mesmo que tenha prioridade ou o semáforo tenha ficado verde, deve avançar com prudência (certificar-se de que os outros veículos pararam, de facto, no semáforo, por exemplo), pois pode surgir um carro conduzido por alguém que não reparou em si. Não perca a noção de que uma moto por maior que seja tem uma volumetria menor, preenchendo menos o campo de visão do que um automóvel por mais pequeno que este seja. Também quando para num cruzamento, olhe para o retrovisor, pois pode dar-se o caso do automobilista que está na sua traseira estar distraído e não o ver. Terá assim alguma margem de manobra para reagir e evitar que venham para cima de si. É, por isso, que é recomendável igualmente que tenha roupas com um bom índice de visibilidade e mesmo com um bom índice de retro refletividade.

Não queira ser Valentino Rossi!

Na condução é importante ir no seu ritmo e saber quando está a arriscar em demasia. Se for a rolar em grupo, não é pelo facto dos seus companheiros estarem a abusar da velocidade ou das manobras que lhe deve seguir o trilho. Não se arme em Valentino Rossi. Em autoestrada, a distância de segurança para os veículos da frente deve ser assegurada, até porque quanto maior a velocidade, maior deve ser a distância a manter.

Pneus de qualidade e em bom estado

Numa moto, um pneu de boa qualidade e em boas condições é um aliado da segurança. Não facilite. Mesmo que tenha um pneu bom, basta que o outro apresente uma qualidade pouco recomendável para, numa travagem, por exemplo, a moto ficar desequilibrada no esforço de travagem e atirá-lo para o chão. Se tem dúvidas sobre se os seus pneus estão em ordem, pergunte ao seu mecânico. Na hora da troca, aconselhe-se junto de um especialista para perceber qual a melhor solução que pode aplicar na moto.

michelinA Michelin tem, por exemplo, um site específico bastante completo para pneumáticos de moto (www.michelin.pt/pneus-de-moto) que lhe sugerimos que veja. Tem as dimensões que pode montar nas diferentes viaturas, consoante as marcas.

Atenção à chuva!

Em dias de chuva, seja mais suave nas manobras, quer nas acelerações, quer nas travagens para que a moto não escorregue. Com chuva, é prudente que limpe previamente a viseira do capacete com um produto antiembaciador por dentro e outro repelente de água por fora. Com isso, melhorará a visibilidade, logo a segurança quando circula. Evite circular por zonas sujas: podem ter areia e pequenas pedrinhas que podem provocar uma queda.

moto_chuva