Os perigos de um pneu careca

Os perigos de um pneu careca  3
Carros mal conservados e com pneus carecas são responsáveis por cerca de 20% dos acidentes nas estradas. No entanto, o número poderia ser reduzido, e muito, se os condutores realizassem a manutenção preventiva no veículo.

Medidas como calibrar e alinhamento, “rodízio” ou a troca dos pneus antes de ficarem lisos, são essenciais para a segurança do condutor e passageiros. Vamos apontar alguns cuidados simples que podem reduzir o desgaste dos pneus, e vamos dar dicas sobre a troca, calibragem e manutenção do produto. Confira:

Alinhamento e calibração – Considerado equipamento original em todos os veículos, o pneu necessita de manutenção preventiva. A cada 10 mil km é necessário que o proprietário faça alguns ajustes, como alinhamento e calibração, que ajudam a garantir maior vida útil aos pneus.

Não realizar o alinhamento do veículo causa o desgaste irregular dos pneus, o que obriga o proprietário a efetuar a troca com maior frequência e, assim, ter gastos maiores.

Os perigos de um pneu careca 1

Rodízio – O rodízio é uma forma que o proprietário encontra para reduzir os gastos com a troca dos pneus e aumentar a vida útil do equipamento. Existem diferentes formas de rodízio: o paralelo, que constitui na troca dos pneus traseiros pelos dianteiros; a troca cruzada, em que o pneu dianteiro esquerdo é trocado com o traseiro direito e o traseiro esquerdo com o dianteiro direito; e existe ainda a opção de virar o pneu na mesma roda, fazendo com que os desgastes nos ombros dos pneus sejam igualados. Qualquer que seja a escolha, o desgaste será uniforme. Estes rodízios devem ser feitos, em média, a cada 5 mil km.

Pneu careca – O perigo de rodar com pneus carecas está associado à redução da capacidade de travagem, de deslocamento em curvas e risco de aquaplanagem, que acontece em dias de chuva, quando o solo fica molhado e o pneu perde o contato com a pista. O pneu careca é liso, não possui os sulcos ou gomos para escoamento da água em dias chuvosos. Assim, o carro desliza com maior facilidade e o motorista pode perder o controlo do veículo e causar um acidente.

A troca dos pneus deve ser realizada quando a banda de rodagem atingir as marcas de controlo, mesmo em apenas um ponto. É importante observar que a troca deve ser feita de acordo com especificações do fabricante.

Pneu novo sempre na parte traseira – Como a tração está localizada na parte da frente do veículo, os pneus dianteiros são os que mais desgastam. Muitos proprietários, para economizar, optam por comprar dois pneus e, erroneamente, fazem a troca dos pneus na dianteira.

O condutor deve sempre deixar o pneu novo na parte traseira, porque o controlo do veículo está na parte frontal. Se algum imprevisto acontecer com o pneu dianteiro é mais fácil de sentir e controlar o veículo, já na parte traseira o motorista não tem total controlo.

Veja o artigo que fala mais em pormenor sobre este tema, clique aqui.

Os perigos de um pneu careca  2

Calibragem – A calibragem dos pneus é um fator relevante para economia de combustível. Um pneu murcho tem a resistência maior ao rolamento e o carro fica mais pesado, aumentando o consumo de combustível. A calibragem deve ser feita uma vez por semana e o proprietário deve manter a pressão indicada nos pneus. A baixa pressão sobreaquece o pneu, deixa a direção mais pesada e eleva o consumo, o desgaste nos ombros e a possibilidade de que rachadelas apareçam na carcaça. Mas, quando se ultrapassa a pressão, gera perda de estabilidade em curvas e eleva o desgaste no centro da banda de rodagem e o risco de rebentamentos.