Rails de… ‘segurança’?

Rails de segurança

Os rails protetores que vieram substituir os muros nos limites de muitas estradas, foram criados com o objetivo de evitar que os condutores fossem projetados por ravinas ou para proteger de quedas em pontes, essencialmente são um sistema de segurança passiva (obviamente) que amortecem o impacto do veiculo e impedem estes de serem atirados por ravinas que por vezes são muitos grandes.

Até aqui todos concordamos que os rails são um sistema muito bom que veio melhorar muito a proteção oferecida aos condutores, mas serão mesmo seguros, cumpriram o seu trabalhar como seria de esperar? A resposta à pergunta que coloco é sem dúvida muito difícil de responder, de certa forma eles são seguros já evitarem muitas mortes, mas por outro lado já provocaram outras tantas. Quantas vezes nos deparamos com notícias de motards que ficaram gravemente feridos graças aos rails, de facto são os condutores de motociclos que são os mais afetados.

Veja-se esta notícia de 2006, Luís Correia era piloto de motocross. Aos 35 anos um rail ceifou-lhe a vida.O motociclista seguia no IC19 quando, numa curva junto ao Hospital Amadora-Sintra, “a moto fugiu-lhe e foi contra o rail. Ficou decapitado”, recorda o amigo João Oliveira, do Moto Clube de Massamá.

Foi por este e tantos outros casos de mortes e amputações de motociclistas que as autoridades decidiram adicionar aos tradicionais rails uma proteção. Este é um grande passo em relação à segurança rodoviária, no entanto muito ainda há por fazer porque em muitas vias não existe rails de segurança e em outras tantas que existe ainda não têm esta proteção essencial para os motociclistas.

Mas não pense que o perigo está apenas para os condutores de motos, também os automobilistas correm grandes perigos no que toca a este tipo de “proteção”, na verdade em muitos casos ou rails tornam o acidente ainda mais grave, muitas vezes porque a sua manutenção não é assegurada ou porque foram mal colocados, seja como for por vezes são perigosos.

Há cerca de dois anos tive um acidente e enquanto estava no hospital nesse mesmo dia um outro jovem tinha tido um acidente em Viseu, numa via onde circulava sozinho, despistou-se, devido ao piso escorregadio de folhas do outono, quando embate em rails de segurança e estes irromperam pelo meio do carro, um Mercedes Classe C antes de 2000, e cortou-lhe ambas as pernas pelo joelho. É caso para perguntar se não era preferível não terem gasto dinheiro com os rails.

Em conclusão, tudo tem as suas vantagens e desvantagens, por um lado este sistema é seguro e já salvou muitas vidas, mas por outro também já ceifou muitas outras vidas, a questão está se o número de mortes e feridos compressa o número de sobreviventes, seja como for algo terá de ser feito, talvez terão de inventar um novo material, deixe a sua sugestão de que tipo de material poderia ser. Se já foi afetado por algum tipo de rail de segurança deixe-nos a sua história.