Relembrar o básico para uma condução segura (2): Velocidade

speed radar

As melhorias na tecnologia tanto a nível dos automóveis como da construção das estradas melhorou a experiencia da condução, mais pessoas conduzem com mais comodidade e por distâncias cada vez maiores, muitas afirmam que já praticam uma condução segura.

Nós conduzimos carros mais seguros, em estradas mais seguras, ouvimos décadas de publicidades e campanhas de informação pública sobre condução segura, como resultado disso os números de acidentes baixaram, os mortos e feridos diminuíram, mas será que ainda nos lembramos do básico?

Acha que sim? Se todos nos lembramos do básico então porque acontecem ainda tantos acidentes? E mais, porque é que a maioria dos acidentes é resultado de erro humano se nos lembramos das regras básicas?

É um fato que a melhor maneira de reduzir o risco de estar envolvido em um acidente é a prática de comportamentos de condução segura. Se está apenas aprendendo a conduzir ou já é experiente atrás do volante, é uma boa ideia rever algumas regras básicas.

Velocidade

Se circular em cidade a mais 15 km/h que o limite só vai poupar alguns minutos, mas verá a probabilidade de estar envolvido num acidente aumentado em 50 por cento. Mesmo em viagens longas, o tempo que economiza é irrelevante em comparação com os riscos associados ao excesso de velocidade.

O excesso de velocidade é um dos fatores que mais contribuem, não só para que aconteçam mais acidentes, mas principalmente, para a gravidade dos acidentes de trânsito, a nível de custos humanos e económicos é o fator que mais influencia e faz aumentar os números.

Os carros em excesso de velocidade são naturalmente mais dificeis de imobilizar devido à inércia, a massa do veículo passa a ser expoenciada pela velocidade o que transporforma um carro descontrolado num projéctil de diversas toneladas, deixando um rasto de destruição à sua passagem.

A destruição de um acidente não cria só custos materiais, pois as vidas envolvidas num acidente são mais do que só a sua, mesmo quando conduz só a sua familia também “viaja” consigo, se morrer ou ficar incapacitado a sua familia suportará os custos pscicológicos e financeiros. Lembre-se que quem fica paga.

A nível dos custos económico para a sociedade é estimada nos Estados Unidos em 40,4 mil milhões de dólares ao ano, o excesso de velocidade foi um fator que contribui para 31 por cento de todos os acidentes fatais nesse país, em 2008.

A nível de coimas, nas localidades, se circular num veículo ligeiro ou num motociclo, além do limite de velocidade até 20km/h arrisca-se a pagar um valor entre 60 a 300 euros, se a sua infração for entre 20 a 40 km/h o valor passa para 120 a 600, a velocidades de 40 a 60 acima do limite as coimas são de 300 a 1500, se a velocidade a que circula ultrapassar em 60 km/h o limite estabelecido a multa será entre os 500 e os 2500 Euros.

Outra consequencia de uma infração de velocidade e dos limites refere-se à inibição de conduzir nos casos em deixa de ser considerada uma infração leve, o que acontece após ultrapassar os 20 km/h de excesso, quando passa a ser infração grave e pode dar inibição de 1 mês a um ano, caso ultrapasse os 40 km/h a infração já é muito grave, pelo que a inibição passa para os 2 meses a 2 anos. Um caso muito relevante para quem conduz profissionalmente e poderá significar ficar afastado do seu ganha pão.

Conduzir rápido pode parecer divertido, mas a necessidade de velocidade pode custar-lhe a vida. As viagens levam o seu tempo, obedeça aos limites de velocidade. Se você realmente precisa para chegar lá o mais rápido possível, há uma solução infalível, é sair mais cedo.

Foto | Laurent Henschen