Tempo de repouso e o descanso do guerreiro

Tempo de repouso e o descanso do guerreiro

Muitos são os condutores de automóveis pesados que não concordam com o facto de terem de efectuar tempo de repouso, assim como estarem limitados a um determinado número de horas de condução diária ou semanal.

Outros tantos são aqueles que não concordam com o facto de alguns países da Europa não permitirem, ainda que a norma europeia coloque a questão de uma forma muito clara, que os motoristas façam o tempo de repouso semanal dentro da viatura de trabalho.

Um descanso essencial à segurança

Ainda que a norma europeia permita que os motoristas façam o seu tempo de repouso semanal dentro das suas viaturas, desde que esta garanta as condições de conforto essenciais, muitos são os países europeu que não permitem que tal aconteça. Têm lei internas que condicionam esta situação, multando os motoristas.

Se há quem argumente que esta situação nada mais é que uma perseguição aos motoristas que fazem o tempo de repouso semanal dentro da viatura de serviço, na verdade o que os legisladores destes países pretendem é afastar o trabalhador (motorista) do seu local de trabalho durante o período que a ele pertence, para fazer o que bem entender.

Obrigam, deste modo, a que os motoristas façam o seu tempo de repouso semanal num hotel ou noutro local que não a viatura de trabalho. Esta é sem dúvida uma boa postura dos responsáveis desses países, postura que todos os países deveriam seguir. Não é admissível que um motorista que se encontre em viagem tenha de fazer o seu repouso semanal no seu local de trabalho, assim como qualquer trabalhador de outra área qualquer não passa o fim de semana de repouso no escritório.

Alegam os responsáveis destes países que, afastando o motorista do seu local de trabalho durante o tempo de repouso semanal, vai fazer com que os níveis de stress baixem e a qualidade de circulação aumente, diminuindo assim a sinistralidade rodoviária e laboral.

Foto¦ Bloomberg