Ultrapassar sim, mas sem matar alguém

Ultrapassagem

Ultrapassar não é uma manobra perigosa. Ultrapassar é uma manobra legislada, regulamentada e que para ser devidamente elaborada, deve seguir os respectivos procedimentos de segurança. Só dessa forma ela será aceite como regulamentar, segura e capaz de não colocar terceiros em situação de exposição.

Acontece que, a impaciência de muitos condutores, leva-os a realizar a manobra de ultrapassar de forma descuidada e que condiciona toda a movimentação rodoviária ao seu redor. Como causa desse comportamento, é a elevada taxa de sinistralidade direccionada à ultrapassagem mal calculada ou não analisada.

Ultrapassar sim, colocar a integridade física de outros em causa, não

Ultrapassar é a manobra a que recorremos quando desejamos passar para a afrente de outro condutor que circule, mas devagar, diante do nosso veículo. Acontece que ultrapassar por ultrapassar, não será de todo uma solução aceitável; ou seja, devemos ultrapassar sim, se o local e as restantes condições da via e do trânsito se enquadrarem à segurança desejável.

Antes de pensarmos em ultrapassar o condutores que circula à nossa frente e do qual nos queremos “livrar” para podermos circular mais rápido, devemos olhar a via em condições e com olhos de ver; se vem alguém em sentido contrário, se já existe alguém a ultrapassar-nos, se após ultrapassar, existe espaço para regressarmos ao lado direito, ou até mesmo se a largura da via é adequada à realização da manobra.

Se se reunirem as condições para a realização da manobra em segurança, não nos poderemos esquecer se sinalizar a nossa intenção de ultrapassar, com antecedência, claro, para que todos possam adaptar a sua velocidade e procedimentos à nossa intensão.

Seguidamente, devemos alertar o condutor que nos procede que desejamos ultrapassá-lo. Como? Com um suave toque de buzina ou um breve sinal de luzes, chamando-lhe assim a atenção para nós. Só depois, se todas as condições se reunirem, avançar para a realização da manobra, afastando-se do veículo procedente, aumentando a velocidade.

Não esquecer que, dos veículos de duas rodas, nomeadamente bicicletas, pelo menos um metro e meio livre, deverá existir entre o nosso veículo e esse de duas rodas. Para retornar ao lado direito, também aqui devemos estar atentos a uma distância de segurança. Apenas devemos fazê-lo só depois de nos certificarmos que conseguimos avistar a frente do ultrapassado no espelho retrovisor interno ou direito do nosso veículo.