Vai viajar? Saiba que cuidados deve ter para transportar o seu animal de estimação sem que ambos corram perigo.

Vai viajar? Saiba como transportar o seu animal de estimação sem que ambos corram perigo.

As férias estão a chegar e alguns fins-de-semana mais prolongados também. Durante esses períodos muitas são as pessoas que efetuam algumas deslocações, de maior ou menor distância, para locais diferentes do seu local de permanência habitual.

Sabendo que há quem tenha em casa animais de estimação, essa deslocação pressupõe que o dito animal acompanhe a família. Se assim é, então devem ter-se alguns cuidados com o seu transporte durante o percurso que vamos efetuar.

Os animais são nossos amigos; devemos olhar pela sua segurança numa viagem.

Muitas são as vezes em que ao olharmos para dentro dum automóvel, apercebemo-nos que está a ser transportado um animal à solta, livre de qualquer sistema de segurança passiva. Pensamos que tal não representa qualquer perigo, uma vez que a velocidade a que se circula é relativamente baixa. E relativizar uma velocidade é a coisa mais simples.

Quando nos deslocamos e nos fazemos acompanhar do nosso animal de estimação, seja ele um cão ou um gato, ou qualquer outra espécie de animal, devemos sempre considerar que, mesmo imobilizados, o risco é uma constante e estamos sujeitos a um perigo súbito.

Se assim é, devemos perceber que, se olhamos pela nossa segurança, de forma direta, ainda que muitos não o façam, devemos também olhar para a segurança dos nossos animais; devemos provê-los de cinto de segurança ou sistema de retenção.

Vai viajar? Saiba como transportar o seu animal de estimação sem perigo para ambos.

Animal à solta, perigo constante para todos.

Se vai dar inicio à marcha do automóvel, saiba que perigos estão presentes se o seu animal não estiver devidamente seguro com sistema de retenção apropriado para ele;

Se o cão ou gato não estiverem equipados com um sistema de retenção ou transportados em espaço próprio dentro da viatura, o facto de irem soltos representa um perigo exponencial para todos, em caso de o condutor ter de realizar um travagem súbita.

Quando estamos a ser transportados devemos fazer uso do cinto-de-segurança ou de cadeirinhas de retenção. Tal deve-se ao facto de, numa diminuição brusca de velocidade, a massa do nosso corpo ser projetada para diante, sem que tenhamos capacidade de reagir, em proteção, à mesma.

Se dentro do automóvel um animal for transportado sem a devida retenção, esse animal será um objecto físico que irá ser projetado dentro da viatura, como uma bola de ping-pong, sem capacidade de se deter e com uma peso três vezes, aproximadamente, superior ao seu peso normal.

Caso embata em algum passageiro, as lesões provocadas serão elevadíssimas, podendo provocar a morte, não apenas ao animal, mas também aos passageiros afetados. Imagine agora que o seu animal é um cão de médio/ grande porte.

Vai viajar? mSaiba que cuidados deve ter para não colocar em perigo a sua segurança e a do seu animal.

Como deve transportar o aseu animal de segurança.

Para transportar o seu animal de estimação, deve ter em atenção que tal se deve fazer recorrendo a duas possibilidades; caixa de transporte adequada ou cinto-de-segurança. Se optar por uma caixa, o que normalmente acontece com animais de pequeno porte, deve ter em atenção que essa caixa deve estar bem acondicionada, seja na bagageira do automóvel, no chão junto aos pés ou sobre o banco, através do cinto-de-segurança.

Se o seu animal de estimação for um canídeo de médio ou grande porte, então o transporte deve ser efetuado numa gaiola, na bagageira do automóvel, ou no banco, devendo o animal estar equipado com cinto de segurança ou sistema de retenção apropriado ao seu peso e estatura.

Não se esqueça de efetuar paragens regulares, pois os animais também enjoam, e manter o habitáculo com ar renovado. Não se distraia com alguma instabilidade do animal, porque isso levá-lo-á a desviar a atenção do trânsito que se desenrola à sua volta. Faça boa viagem, sempre em segurança.