Abuso no estacionamento

estacionamento reservado

Quando os condutores estão com pressa para estacionar, seja qual for o motivo, não se preocupam se pararam em dupla fila, em locais proibidos, no meio faixa de rodagem – sim, existem muitos que o fazem – parando tudo e todos, ou então em locais reservados, de qualquer das formas é um abuso no estacionamento.

Quando existe alguma consequência, por exemplo uma coima, queixam-se que é uma injustiça, afinal “só” pararam por 5 minutos para ir à padaria buscar o pão ou então foram ”só” deixar a criança na porta da escola, a este tipo de desculpas, mais especificamente à do pão, já ouvi um polícia responder ironicamente a uma senhora muito alterada e insistente “- São “” 60 euros”.

Locais reservados

Quando uma zona de estacionamento reservado é criada, é verificado que cumpre diversos requisitos para que assim ocorresse, pois a atribuição seja de lugares específicos a viaturas afetas a algumas entidades, como no exemplo da foto, seja para operações de cargas e descargas, ou ainda para viaturas utilizadas em transportes de indivíduos com necessidades especiais, nomeadamente de deficientes, são devidamente sinalizados.

No caso dos lugares reservados a deficientes motores comprovados a deficiência motora, ou seja, toda aquela pessoa que, por motivo de lesão, deformidade ou enfermidade, congénita ou adquirida, seja portadora de deficiência motora ao nível dos membros inferiores ou superiores, de carácter permanente, de grau igual ou superior a 60% e possua o cartão comprovativo poderá estacionar.

Esses locais de estacionamento reservado são essenciais para o fim que foram criados pelo que a ocupação por terceiros criará uma entropia à atividade normal a que se destinava, no caso da foto o espaço é reservado a uma viatura da Polícia de Segurança Pública, junto ao Centro Hospitalar do Funchal, em caso de necessidade a viatura policial terá que ocupar o local de estacionamento de outra entidade ou então estacionar num local onde pode criar dificuldades à normal fluência do tráfego automóvel.

Neste caso é pertinente a dificuldade que possa ser causada ao fluxo de tráfego nesta via, visto esta via ser o único acesso à zona de urgências do referido hospital, pelo que qualquer atraso que provoque, por mais insignificante que possa parecer por quem o provoca, poderá ser o fator que definirá um caso de vida ou de morte de uma pessoa em situação crítica.

Bom senso e responsabilidade

Em todos os casos o bom senso deve imperar, se está assinalado um estacionamento reservado, este deve ser respeitado, todos os condutores que não respeitem deverão ser responsabilizados, o que no caso da simples aplicação de uma coima será a maneira mais ligeira de responsabilizar o infrator.

O comodismo crónico que quase todos os condutores portugueses têm quando pretendem estacionar não deve servir de desculpa para que não se chame a atenção quando vemos alguém a estacionar de forma indevida, mesmo correndo o risco de ouvir alguma resposta menos correta ou para que os agentes da autoridade não atuem em conformidade com a lei, especialmente quando se tratam de abusos repetidos.

A pretensão de levar o carro até ao balcão da loja só deverá ser possível quando for a um “drive-thru” e não em todos os estabelecimentos por onde pretende passar, lembre-se de quando é você que fica prejudicado pelos abusos dos outros, como se sente? Irritado? Injustiçado? Não faça igual. Circule seguro e estacione corretamente.