Como conduzir de noite e em segurança

Have been planning this shot for quite a while waiting for a suitably clear night, the roadworks on the Eastbound carriageway to be cleared and the steam and smoke to be drifting South over the town. Well got two out of three but the roadworks were transfered to the Westboud carriageway forcing me to crop tighter than I wanted to, so just a trial shot tonight. Hopefully in the next few weeks they'll move a couple of hundred metres further down the road and the sugar factory still processing the last of the beat.

Geralmente os acidentes rodoviários mais graves ocorrem durante a noite, e e dos quais resultam normalmente vitimas mortais. A vítima mais frequente é o próprio condutor. Os embates são fortes e implicam  muitas vezes a perda total dos veículos e de eventuais cargas.

Para além da visibilidade que o sistema de iluminação de cada veículo deverá ter e estar ligado sempre que as condições o exijam, convém saber que causas têm esses acidentes para permitir eliminá-los do nosso quotidiano, para assim reduzir a dor e os prejuízos que causam, não só a quem está diretamente envolvido como também às suas famílias.

E qual são as causas mais frequentes? No topo da lista surge o adormecimento do condutor ao volante, o corpo humano necessita de descansar, por mais que tentemos lutar contra isso, o cansaço e o sono irão sempre vencer e num momento ou outro iremos acabar por adormecer, pelo que devemos evitar que isso ocorra quando estamos ao volante.

A noite, o cansaço e o sono

Faça a melhor gestão dos seus períodos de condução e de repouso. Esta é especialmente importante para os condutores profissionais e para quem trabalha por turnos que incluam períodos noturnos, obrigando a uma gestão do seu dia diferente do tradicional – trabalhar de dia e dormir de noite.

O facto é que a natureza humana está “programada” para descansar quando anoitece, mesmo quem habitualmente trabalha nos turnos da noite, ou os notívagos crónicos, têm tendência para adormecer, quando anoitece.

Como pode solucionar ou minimizar este problema? Em primeiro lugar deve recordar-se das implicações que os seus hábitos têm na capacidade de vigilância e de que forma acentuam, ou não a fadiga, aumentando a sonolência e os riscos de se envolver em situações potencialmente perigosas devido a esta.

Fatores tão diversos como o tempo que dormiu, a qualidade desse sono, a alimentação, e caso esteja a fazer uma deslocação prolongada, a própria programação das paragens para descanso ao longo do trajeto deverá ser um fator a ter em atenção.

Caso esteja a fazer algum tipo de medicação deverá estar atento aos efeitos secundários que estes provocam, se podem ser a origem do adormecimento e se afetam a capacidade de conduzir ou operar maquinaria. A manutenção da higiene pessoal e estar atento à sua capacidade física e saúde mental, são muito importantes, em especial para quem tem de conduzir um veículo durante a noite, pontualmente, e fundamentais para quem trabalha de noite e por longos períodos.

Melhorar a visibilidade noturna

Durante a noite, a visibilidade diminui naturalmente, dificultando a distinção dos outros veículos, os peões e até os limites da via, aumenta a dificuldade de distinguir as cores e a avalição das distâncias passa a ser mais complicada.

Depois existem os problemas de encandeamento devido aos faróis dos outros veículos, mas a visão também é afetada pelas às rápidas alterações da quantidade de luz, por exemplo na passagem de um local totalmente escuro para um outro muito iluminado ou vice-versa.

A iluminação do veículo

A iluminação própria dos veículos, quer sejam luzes, sinalizadoras ou reflectoras, servem para que os outros nos vejam, e sinalizar a nossa posição, não esquecendo o grande desconhecido de muitos que é o pisca e que serve para que os outros tenham conhecimento antecipado das nossas intenções, podendo assim agir de forma adequada e evitar dissabores a todos.

Os faróis são os principais focos de luz de um veículo e servem essencialmente para iluminar a via, no caso das luzes de cruzamento ou médios, são utilizados para iluminar a estrada à frente do veículo até 30 metros, enquanto que os máximos servem para iluminar pelo menos 100 metros.

A regulação dos faróis também é importante pois permite iluminar corretamente a estrada, evita o encandeamento de outros condutores, ou peões. O condutor deve circular com os médios ligados e apenas utilizar os máximos, quando não existirem veículos a circular à sua frente, quer no mesmo sentido, quer em sentido inverso.

Eis mais algumas dicas que poderão revelar-se úteis para a condução noturna em segurança: mude o ângulo do retrovisor interior para reduzir o encadeamento dos veículos que vêm atrás de si e adeque a velocidade às condições de visibilidade,

E lembre-se que, as luzes de circulação diurna não servem para utilizar durante o período noturno, pois para além de não iluminarem adequadamente a zona dianteira, nesta fase as luzes na traseira encontram-se apagadas.

 

Foto | Andrew Stawarz