De férias com a ViaMichelin

michelin welcome

Nesta época de férias, caso tenha disponibilidade e opte por fazer os trajetos de carro, deve planear as suas férias com antecedência, por vários motivos, encontrar o melhor caminho, com o menor custo e passando por pontos de interesse.

Para ajudar na sua tarefa existem diversas soluções, pode usar alguns sites que ajudam a planear melhor a sua rota, uma das melhores e mais conhecida é a Via Michelin, caso pretenda a versão para o seu smartphone, descarregue a  app através deste link.

Pode opte pela versão integral pode encontra-la no seguinte endereço, www.viamichelin.pt aqui consegue escolher os itinerários por onde prefere circular, podendo, por exemplo, favorecer as autoestradas ou evitar ao máximo as portagens, ou as vinhetas no caso da Suíça e Áustria.

Pode ainda tentar evitar as conexões marítimas, caso isso seja possível o seu trajeto limitará ao mínimo possível esses trajetos, ou se por algum motivo não puder, ou não quiser, sair do país, pode selecionar a opção de autorizar a saída do país, ou não.

Caso circule com uma caravana, pode indicar na página da ViaMichelin esse fato e terá uma escolha de trajeto que levará em conta essa característica especifica do veículo com que se desloca.

Não descure a alimentação no planeamento da viagem

Uma das vantagens de usar a ViaMichelin é poder aceder ao Guia Michelin, para aceder diretamente entre em www.viamichelin.pt/web/Restaurantes aqui pode planear, antecipadamente, a sua pausa para as suas refeições num dos mais de 27.000 restaurantes que estão listados.

O Guia Michelin é um guia turístico publicado pela primeira vez em 1900, por André Michelin, um industrial francês co-fundador da Compagnie Générale des Établissements Michelin, mais conhecida como fabricante de pneus Michelin. O objetivo de André era o de promover o turismo para o crescente mercado automobilístico.

Os guias são divididos em dois grupos, os verdes e os vermelhos, os guias verdes são guias turísticos que se concentram no patrimônio natural e cultural por região. São publicados para todas as regiões de França e para a maior parte das regiões da Europa.

Os guias vermelhos são os guias de referência de hotéis e restaurantes, este guia é o mais respeitado do mundo e premia os melhores restaurantes, classificando-os de 1 a 3 estrelas. Ganhar uma estrela do guia significa a ascensão do restaurante e é motivo de grande orgulho e prestígio.

Estrelas do Guia Michelin em Portugal

Na edição deste ano, o Guia Michelin, que incluí Portugal e Espanha, realça com duas estrelas o restaurante Ocean, em Lagoa, cujo chef é Hans Neuner e o Vila Joya, em Albufeira, chefiado por Dieter Koschina, ambos são descritos como sendo possuidores de uma “mesa excelente, merece o desvio”.

Com uma estrela Michelin, que é considerado como sendomuito bom na sua categoria”, estão os restaurantes Willie’s, em Vilamoura, Henrique Leis, em Almancil, Il Gallo d’Oro, no Funchal, Casa da Calçada, em Amarante, Fortaleza do Guincho, em Cascais, The Yeatman, em Vila Nova de Gaia, Feitoria e Belcanto ambos em Lisboa.

Em relação à edição de 2013, a Michelin atribui a distinção pela primeira vez ao restaurante L’And Vineyards, em Montemor-o-Novo, cuja cozinha é liderada pelo chef Miguel Laffan. Um restaurante que volta a merecer uma estrela é o restaurante Eleven, em Lisboa pelo ‘chef’ Joachim Koerper.

Criado no início do século XX para ajudar os viajantes nas suas deslocações, o Guia Michelin é hoje considerado uma referência mundial na qualificação de restaurantes. Portugal entrou no roteiro em 1910, mas as primeiras estrelas só chegariam em 1974.

Os inspetores do guia valorizam “a qualidade dos produtos, o ponto de cozimento, os sabores, a criatividade, a regularidade da cozinha e a relação qualidade/preço”. Portanto garantidamente não sairá defraudado gastronomicamente se optar por deliciar-se num destes locais.

Uma boa alimentação é um dos garantes de uma boa condição física e emocional para qualquer individuo, assim sendo este fator também ajuda a que possa estar mais atento à condução, logo é um fator que contribuí para que circule seguro.

Foto | Matthew Rutledge