Inundações e outros perigos

11 dez

Todos os anos, ocorrem mais mortes devido a inundações do que originadas por qualquer outro evento atmosférico. Isso ocorre porque as pessoas subestimam a força e o poder da água. Muitas das mortes ocorrem em automóveis, pois julgam-se protegidos e quando o veículo é arrastado já não conseguem reagir.

Muitos desses afogamentos são evitáveis, mas muitas pessoas chegam a desrespeitar as barreiras colocadas pelas autoridades circulando na zona identificada como proibida. Um estudo internacional detetou que mais de metade de todos os afogamentos relacionados a enchentes ocorrem quando um veículo é levado nas chamadas enchentes relâmpago. Saiba o que fazer para evitar ser uma vitima de inundações e outros perigos associados.

Inundação relâmpago

Existem muitas causas possíveis para a ocorrência de inundações. As inundações podem ocorrer lentamente ao longo de muitos dias ou acontecer muito rapidamente, com pouco ou nenhum aviso. Quando a inundação ocorre até três horas depois de chuva forte, ela é conhecida como enchente relâmpago, ou também, inundação repentina.

Uma inundação relâmpago é definida como uma inundação rápida de áreas geromórficas baixas, por exemplo, nas proximidades de rios e lagos secos. Mas também acontece em planícies sedimentares e terrenos baixos especialmente junto de bacias hidrográficas. O adjetivo relâmpago provem de só serem assim considerados os eventos que não ultrapassem as 3 horas para criar uma inundação.

As causas podem ser chuva forte num momento, ou por um período de chuva moderada nos últimos dias, que leva o solo a condições próximas à saturação, seguida por uma chuva pontual, que desencadeia o escoamento superficial rápido. A inundação rápida ocorre com tanta rapidez que as pessoas são apanhadas de surpresa. A situação pode rapidamente se tornar perigosa. A única forma de se expor é evitar circular quando deteta que a pluviosidade é excessiva. Mas caso esteja , especialmente se uma pessoa encontrar água alta e em movimento rápido enquanto viaja.

É particularmente importante estar preparado para este tipo de inundações caso circule habitualmente numa área onde já tenha ocorrido este tipo de fenómeno, ou numa zona baixa circundada de montanhas. Algumas áreas do país estão em maior risco em certas épocas do ano. É importante conhecer o risco de inundação na zona onde vive e trabalha, e ter estradas alternativas e planos de recurso em caso de suceder esse tipo de evento.

Não atravesse cursos de água

Não passe por cima de pontes que estão sobre as águas revoltas no contexto de inundações. Saiba que as águas podem galgar a ponte arrastando tudo, desde veículos a elementos de iluminação e de proteção. As águas da enchente podem escavar rapidamente as fundações ao redor dos pilares, essencialmente devido aos detritos que transporta. Estas circunstâncias podem tornar a ponte instável e em caso extremo levar ao seu colapso.

A água tem imensa força, quando aliada a movimento acelerado é praticamente imparável. Uma pequena altura de água é capaz de deitar um adulto ao chão. Cerca de 15 centímetros de água com grande velocidade é capaz de movimentar um veículo. Não esqueça que após vencer a inércia inicial do veículo a força necessária para mantê-lo em movimento é menor. Assim, não arrisque, não atravesse uma estrada onde uma grande quantidade de água esteja a se movimentar.

Não arrisque

Nos casos já extremos em que é apanhado dentro do carro, mantenha a calma e analise as suas possibilidades de fuga. Esqueça os bens materiais, salve-se. Se as águas da inundação se erguerem ao redor do seu carro, mas a água não estiver se movendo, abandone o carro e vá para um lugar mais alto. Mas caso a água esteja em movimento não saia do carro, pois será facilmente arrastado.

Em dias de forte precipitação, evite estacionar, ou circular, ao longo de rios, ribeiros ou outros cursos de água. Essas áreas podem se inundar rapidamente e com pouco, ou nenhum, aviso. Saiba o que não fazer no caso de ficar preso em uma situação difícil.

Uma atenção em especial para as áreas onde ocorreram incêndios recentemente, pois as cinzas sobre a superfície também são favoráveis ao escoamento superficial, neste caso os deslizamentos. Portanto, evite circular em zonas onde ocorreram incêndios recentemente, especialmente se estas forem em declive.

Mesmo depois da tempestade, mantenha a cautela

Depois do nível da água ter descido deve estar ciente que necessita ter alguns cuidados, em especial nas áreas onde as águas da enchente recuaram. Deverá ter especial atenção com os detritos que ficam espalhados pela via e também com os estragos que possam ter sido causados a infraestruturas existentes.

Não deve tentar conduzir através de áreas que ainda estão inundadas. Não sabe como está o piso debaixo da superfície da água, ou se eventualmente existem obstáculos ocultos. Deve ter atenção a postes elétricos derrubados e zonas alagada, pois podem estar eletricamente carregadas. Seja prudente.

Foto | FEMA