Manutenção preventiva garante mais segurança e economia (1/2)

20530084961_22da7dcb80_k

A manutenção preventiva parece algo especial, mas na verdade trata-se de conseguir efetuar a manutenção antes de avariar, mas de forma calculada e apoiada em dados sólidos sobre a durabilidade prevista das peças.

E quem é que saberá qual a duração prevista das peças e quando deverão ser trocadas? O condutor do dia-a-dia? O condutor profissional? O mecânico? O vendedor? Bem, na verdade todos podem saber, basta ler o manual do proprietário e seguir o plano de manutenção recomendado pelo fabricante do veículo. Mas vamos aos pormenores…

Ao optar pela manutenção preventiva pode acordar com o seu mecânico a frequência e as prioridades de manutenção, ou seja, determine com que quilometragem efetua determinada revisão e podem verificar o que realmente precisa ser substituído, assim poderá ter a garantia de ser verificado o estado e desgaste das peças em causa.

Na sua oficina ao inspecionar as peças podem chegar à conclusão que algumas delas tem necessidade de serem substituídas, como previsto, e outras podem esperar mais alguns de quilómetros, agindo desta forma os custos de manutenção baixam, conseguindo ter um custo de utilização da viatura abaixo da média normal do seu modelo.

Se a sua região possuí determinadas características especificas que provocam desgaste prematuro de algum tipo de peça, verifique-as antes do recomendado. Veja como pode proceder para que o seu automóvel dure mais e custe menos, abaixo estão alguns conselhos para o dia a dia que ajudam a prolongar a vida da viatura e a ter menos problemas.

Verifique regularmente os níveis dos líquidos

No caso do óleo deve verificá-lo semanalmente, com o motor frio, preferencialmente pela manhã antes de colocar o motor em funcionamento (verifique no seu manual se o fabricante do seu veículo informa que o motor deve ter rodado antes ou não, alguns aconselham outros não, caso não possua manual faça a frio), com o veículo em piso nivelado retire a vareta do óleo, limpe-a com um pano ou papel insira e retire-a novamente.

Verifique qual o nível de óleo que tem no motor, este deve estar entre as marcas de mínimo (Min) e máximo (Max) gravado na vareta. Se necessário complete com o óleo, de preferência com um da mesma marca e características do existente no momento no motor, e ou com um recomendado pelo fabricante. A maioria dos fabricantes considera normal um consumo de até 1 litro de óleo para cada 1000 quilômetros rodados.

Outro líquido que é essencial verificar o nível é o da água, ou líquido de refrigeração, com o veículo nivelado, a água deve estar entre as marcas de mínimo e de máximo inscritas na lateral do reservatório da água. Se houver necessidade de completar a água com muita frequência, pode ser indicativo de algum problema no motor ou na bomba de água, é aconselhado levar o veículo a uma oficina veículo para que seja efetuado um diagnóstico.

Garanta que os filtros estão limpos e em bom estado

O filtro de ar deve ser verificado periodicamente, se costuma circular em estradas de terra ou muito poeirentas a probabilidade deste elemento estar sujo e a obstruir a correta passagem de ar para o motor é muito elevada. Se estiver muito sujo deve ser substituído, pois um filtro de ar sujo prejudica o correto funcionamento motor, altera a qualidade da mistura de combustível, aumentando o consumo de combustível e a poluição produzida pelo motor.

Apesar de mais protegido o filtro de combustível também acumula impurezas que tem origem no combustível e nos fundos dos tanques que em casos extremos pode colocar em risco a integridade do motor.

Substitua o filtro de combustível nos intervalos recomendados pelo fabricante, em média a cada 20.000 quilómetros, dessa maneira estará preservando o sistema de alimentação, válvulas e restantes elementos da camara de combustão contra os danos provocados pelas impurezas no combustível.

Foto | Gsloan