Que preciso saber / fazer para atrelar um reboque ao meu carro?

Antes de partir de férias está a calcular a “tralha” que irá levar e percebe que a bagageira não será suficiente… que fazer? Aí acende-se a “luzinha” das ideias luminosas. “Vou colocar um atrelado no carro e está resolvido!”

Será que é só colocar a bola de reboque “amarrar-lhe” um atrelado e está feito? Provavelmente não será assim tão simples. Convém saber diversos pormenores antes de decidir comprar a bola de reboque e o atrelado. Saiba aqui tudo o que necessita para atrelar um reboque ao seu carro.

Para que precisa do atrelado?

Antes de comprar ou alugar um atrelado, ou uma caravana, precisa de saber várias coisas. Para começar o peso que o seu automóvel pode puxar. Consulte o manual de instruções do veículo, informe-se junto de um concessionário da marca ou consulte online a ficha técnica do seu modelo.

Mais, irá usar o atrelado muitas vezes? Compensará comprar, ou será mais vantajoso alugar por um determinado período? Utilizará somente em território nacional ou também em deslocações ao estrangeiro? Calcule bem as suas necessidades para não gastar mais que o necessário.

As homologações de atrelados são nacionais

Os atrelados são veículos da categoria O e só podem, por enquanto, ser objeto de homologação nacional, não estando em vigor a homologação CE na União Europeia para esta categoria de veículos. Isto significa que um reboque legalizado em Portugal é reconhecido como legal somente em Portugal.

Este facto significa que as homologações concedidas por qualquer Estado-Membro da União Europeia para veículos destas categorias podem não ser reconhecidas por outro Estado-Membro. Os fabricantes de atrelados disponibilizam modelos com homologações diferentes em vários países. Verifique se  homologação é válida nos países onde precisa. Este será outro fator a ponderar aquando da aquisição de um atrelado.

Se pretende utilizar o atrelado em deslocações ao estrangeiro, basta ir a Espanha, por exemplo, a homologação exclusivamente portuguesa não será válida. Em Portugal os pedidos de homologação para estas categorias de veículos são instruídos genericamente com os mesmos elementos exigidos para a categoria M1. Diferindo no conjunto de fichas de homologação relativas a diretivas específicas a apresentar.

Matriculas para atrelados com mais de 300kgs

Para reboques e semi-reboques com peso bruto acima dos 300 Kg, deverá solicitar uma matrícula para o atrelado. Consoante as situações abaixo indicadas, o pedido de matrícula deve ser acompanhado dos respetivos documentos:

Se o atrelado possui homologação nacional:

• Formulário Modelo 9 IMT;
• Original do documento de identificação do veículo (Certificado de Matrícula);
• Certificado de inspeção, Modelo 112 emitido por um CITV (só para reboques com peso bruto superior a 3500 kg);
• Documento de identificação do requerente (ou fotocópia).
• Taxa: € 45

Se o atrelado não possui homologação nacional:

• Formulário Modelo 9 IMT;
• Original do documento de identificação do veículo (Certificado de Matrícula);
• Certificado de inspeção, Modelo 112 emitido por um CITV (só para reboques com peso bruto superior a 3500 kg);
• Original da homologação do país de origem ou fotocópia autenticada.
• Documento de identificação do requerente (ou fotocópia).
• Taxa: € 165

Como proceder para a obtenção dos documentos acima indicados? O interessado deve começar por se dirigir ao fabricante, ou ao representante legal do atrelado para que este proceda à confirmação documental, no Modelo 9 IMT, de que o veículo corresponde a uma homologação nacional. Deve seguidamente submeter o veículo a inspeção para matrícula num centro de inspeções da categoria B.

No caso de não corresponder, deverá solicitar junto dos Serviços Regionais e Distritais do IMT da área de residência ou sede, a homologação do veículo. Após verificação do cumprimento das exigências legais, o processo de atribuição de matrícula será concluído. O Certificado de Matrícula será emitido após regularização do registo da propriedade junto da conservatória.

Não esqueça o seguro

De modo a poder legalizar um atrelado, vai precisar de ter seguro para o mesmo, podendo este ser separado do seu seguro automóvel, ou estar incluído no mesmo. No caso de estar incluído, terá na apólice a inclusão de serviço de reboque. Caso não haja tal inclusão, haverá informação explícita na apólice referente à exclusão de serviço de reboque, sendo obrigatória a inclusão para legalizar um atrelado e para poder circular legalmente.

Tenha atenção que se o atrelado estiver associado ao seu seguro automóvel, este apenas estará sob o seguro quando ligado ao seu automóvel. No caso de fazer seguro de reboque separado do seu seguro automóvel, este estará assegurado quanto a danos causados a terceiros, mesmo sem estar atrelado ao seu carro, visto o reboque ter seguro próprio.

Como atrelar e precauções com a carga

A nível de equipamento no mínimo é necessária uma rótula de engate a que se possa atrelar o que pretende rebocar. Nalguns casos necessitará também de uma tomada elétrica. A tomada será para “alimentar” as luzes traseiras, de mudança de direção e de stop do atrelado ou caravana, ligando-as ás do automóvel.

Tire a tampa da rótula, se existir, levante o manípulo de bloqueio do engate e encaixe este na rótula do carro. Depois, solte o manípulo de bloqueio. Se existir ajuste no atrelado, ou caravana, eleve-o até à sua posição mais alta, baixe o engate e fixe-o.

Muito importante, coloque a corrente de segurança de imediato. Caso possua tomada elétrica, ligue a ficha elétrica e verifique se todas as luzes estão a funcionar. Se possível, enquanto não tiver prática, peça a alguém com experiência que lhe ajude na operação de atrelar.

A carga deverá estar uniformemente distribuída pelos dois lados, sendo que a nível longitudinal é aconselhável que o maior peso fique na frente do atrelado, o mais junto do veículo possível. Certifique-se de que tudo quanto se encontra no atrelado está arrumado com segurança de forma a não se soltar, causando estragos e desequilibrando o atrelado quando em circulação. Nunca sobrecarregue um reboque. Cubra a carga e nunca transporte passageiros.

 

Saiba ainda que…

Caso o atrelado tenha um peso superior a 800kg, ou para poder conduzir um atrelado, caso o conjunto do mesmo e do seu veículo ultrapasse os 3500kg, necessitará da carta de condução com a categoria BE. Caso contrário, a categoria B será o suficiente para conduzir legalmente.

Esta categoria não tem componente teórica nem prática obrigatórias, é apenas realizado e agendado um exame prático. Na realização do exame prático o candidato deverá:

• Demonstrar conhecimento e proceder à verificação do mecanismo de acoplamento, sistema de travagem e ligações elétricas. Deverá saber efetuar de forma segura as operações de carga do veículo e demais operações necessárias, nomeadamente com portas do compartimento de carga, travamento da cabina, processo de carregamento e amarração da carga.

• Arrancar após estacionamento, circular em vias de alinhamento retilíneo e curvilíneo, com cruzamento de veículos, circular por rotundas, passagens para peões e subidas e descidas de inclinação acentuada, com pelo menos 8% de inclinação. Abordar e atravessar cruzamentos e entroncamentos. Realizar a mudança de direção, pré-seleção de vias, mudança e condução em pluralidade de vias de trânsito.

• Realizar uma condução económica e ecológica, tendo em conta as rotações por minuto e a utilização correta da caixa de velocidades, entre outros cuidados específicos.

• Tomar as precauções necessárias ao sair do veículo.

Em caso de dúvida não hesite em contactar o IMT de modo a evitar a circulação ilegal com o seu atrelado. Se o fizer, está sujeito a elevadas coimas, além de todos os problemas que daí advém.

Fotos | Foshie, DiamondBack Truck Covers,