Quanto gasta num quilómetro?

Quando calculamos qual o custo que teremos com uma viatura, pensamos sobre o preço de compra e qual o combustível que gasta. Analisámos o consumo anunciado pela marca. Fazemos contas e decidimos.

Mas o custo dum carro é muito mais que somente estes dois aspetos. Envolve muitos mais parâmetros que tem que ser levados em consideração. Senão corremos o risco de ter uma análise parcial que trará surpresas quando fizermos as contas reais. Descubra aqui quais os itens que deve ter em conta para calcular quanto gasta num quilómetro.

Classificação dos gastos

Os gastos previstos para automóveis são sempre uma despesa significativa, quer estejamos a analisar o orçamento de famílias ou de empresas. As empresas, em especial as de maior dimensão, analisam todos os fatores, pois são muito mais analíticos. Todo e qualquer gasto é um pouco menos de lucro gerado.

Mas no caso das famílias, por vezes falta uma visão global, só considerando alguns fatores, em alguns casos só contabilizam o consumo de combustível, ou nem isso. Quando na verdade este é só uma fração do custo real por quilómetro percorrido. Todos os outros custos, que não são considerados, estão, na verdade, a retirar dinheiro para outras atividades familiares.

Existem algumas variáveis na composição desse custo que têm impactos diferentes e podem ser calculadas de formas distintas. Para facilitar a classificação, vou dividir os custos em fixos e em variáveis. Assim pode analisar qual é a representatividade de cada um no seu caso.

Os custos fixos

Como o próprio nome indica, são custos que não se alteram, independentemente de andar mais ou menos com a viatura. Esses custos estarão sempre a consumir os seus recursos financeiros, tendo que serem amortizados no custo por quilómetro percorrido efetivamente.

Caso estes custos sejam examinados na perspetiva empresarial existem itens diferentes. Como por exemplo, o custo dos recursos humanos e sistemas de rastreamento de GPS. Se o seu caso for dum particular, retire os que não se aplicam a si. Os custos fixos geralmente são:
Depreciação do veículo;
Seguros;
Sistema de localização;
• Pagamento de IUC;
Licenciamentos;
Remuneração dos condutores

Custos variáveis

Aqui devemos contabilizar os custos que variam de acordo com a utilização do veículo. Assim, se o veículo for utilizado mais vezes, os custos serão mais altos. Mas caso não circule com o carro, as despesas serão bem menores, ou até nulas.

Neste parâmetro, a diferenciação entre um utilizador empresarial e particular não é relevante, pois todos são imprescindíveis. As despesas de utilização são transversais a todos os utilizadores. Essas despesas são:
Combustíveis;
Manutenções;
Pneus;
Lubrificantes;
• Outras despesas (incidentes, atualizações)
Portagens;

O valor relacionado com portagens pode aumentar ou diminuir de acordo com os percursos utilizados. A zona onde reside e a do seu trabalho, ou onde está sediada a empresa e os clientes, influenciam a variação dos valores das portagens.

É possível negociar acordos com as instituições que recebem as concessões para fazer esse tipo de cobrança. Esses convénios reduzem os valores totais da cobrança e ainda permitem agilizar a viagem. Ou seja, gasta menos e é mais rápido.

No campo designado por “Outras despesas” estão incluídos todos os itens que não “cabem” nas outras rubricas. Por exemplo, os pequenos sinistros, são sempre necessários de contabilizar nas empresas. Mas também as atualizações de software, ou outras, necessárias e efetuadas fora da garantia da marca ficam neste item.

Ajudas de custo

Caso a empresa para que trabalha seja pública e pague ajudas de custo devido ao uso do seu carro, saiba que o valor para 2018 está enquadrado legalmente. Mais precisamente na Portaria 1553-D/2008, de 31 de dezembro, após Decreto-Lei 137/2010, de 28 do mesmo mês, sob a Lei 66-B/2012.

Apesar do setor privado não tem nenhuma legislação própria para o efeito, a circular da DGCI nº 12/91 indica que as ajudas de custo concedidas no artigo acima indicado podem ser utilizadas como uma referência para o setor privado. Atualmente o valor das ajudas de custo para compensar o que gasta nas deslocações são os seguintes:

Em automóvel próprio 0,36 € / Km
Em transportes públicos 0,11 € / Km
Em automóvel alugado:
Um funcionário 0,34 € / Km
Dois funcionários (valor por cada um) 0,14 € / Km
Três ou mais funcionários (valor por cada um) 0,11 € / Km

Foto | Pexels