Sabe conduzir de forma eficiente?

7415575236_5b8775d64a_k

A eficiência apura-se com a redução da quantidade de recursos consumidos para obter um determinado resultado.  No caso da circulação rodoviária e dos transportes podemos apurar uma melhoria na eficiência sabendo se a quantidade de combustível consumido foi inferior ao que anteriormente gastávamos.

Mas os gastos de um veículo não são somente medidos no consumo de combustível, podemos também verificar o desgaste mecânico induzido no veículo pela forma de conduzir. Os pneus, os travões, a suspensão e a embraiagem são os elementos mais propensos a mostrarem a forma como são tratados pelo condutor. Saiba como poupá-los e economizar algum dinheiro.

Apesar do consumo de combustível ser o fator que mais rapidamente dá provas da forma de conduzir, os outros fatores podem também ser levados em conta para apurar a evolução da condução de determinado condutor. Estes fatores podem ser usados em empresas com frotas, onde a par com o resultado dos consumos, e caso cada veículo tenha um só condutor, será possível verificar uma concordância de valores.

Por norma aquele condutor cujo veículo mais consume combustível também tem mais propensão a provocar um maior desgaste de travões, pneus e demais materiais consumíveis. Nestes casos poderão efetuar formações de condução em centros especializados onde serão demonstrados os erros que estão a cometer podendo corrigi-los e melhorar a qualidade da sua condução.

Dicas para conduzir de forma eficiente

Ligue o motor do veículo apenas antes do início da viagem, não é necessário aquecer como era aconselhado antigamente, exceto se estiver a conduzir um veículo antigo. Alguns especialistas aconselham ainda a desligar o motor sempre que fique imobilizado mais do que um minuto (atualmente a maioria dos carros já tem sistema “start/stop”)

No arranque deve pressionar o acelerador o mínimo possível, deve também evitar arranques bruscos, o mesmo se aconselha para as travagens, não devem ser feitas de forma excessivamente rápida ou brusca.

Ao circular a uma velocidade constante, pode sempre usar a inércia do veículo para manter o movimento, sem a necessidade de despender mais energia para retomar uma velocidade superior, esta forma de condução tem um outro fator positivo, pois a sua constância de movimento melhora a fluidez da circulação do trânsito, com menos pára-arranca e menos travagens que parecem vir do nada no meio de um fluxo contínuo de transito.

Utilize a caixa de velocidades de forma consciente. Não necessita de “puxar” muito pelo motor se o veículo pode fazê-lo de forma mais suave, tente mudar a relação de caixa a rotações baixas. Nos motores a gasolina deverá mudar de velocidade próximo das 3000 rpm, e nos motores Diesel a mudança de velocidade deve fazer-se por volta das 2000 rpm., naturalmente que cada motor tem as suas especificidades e a orografia de cada local também implica algumas adaptações a estes regimes de motor, pelo que estas indicações deverão ser tomadas como indicativas.

Deverá ter atenção à pressão dos pneus (pode sempre pesquisar por alguns conselhos que a Michelin lhe fornece em www.michelin.pt), pois uma pressão de pneus inferior à recomendada aumenta o consumo e uma pressão superior reduz a segurança. Lembre-se de verificar, pelo menos uma vez por mês, a pressão e sempre antes de iniciar uma viagem longa. A sua segurança depende destes pequenos cuidados e a redução da fatura de combustível poderá ser um bónus muito positivo. Siga as dicas e conduza de forma mais eficiente.

Foto | Starmanseries