Semana Mundial da Segurança Rodoviária (2)

Semana Mundial da Segurança Rodoviária

Decorreu entre 6 e 12 de Maio de 2014 a Segunda Semana Mundial da Segurança Rodoviária das Nações Unidas. Esta iniciativa, como já foi aqui abordado, pretendeu congregar uma série de iniciativas, promovidas pelo maior número de instituições, de modo a contribuir para a diminuição da sinistralidade rodoviária e suas consequências.

Sendo promovida oficialmente ao longo de uma semana, esta iniciativa pretende desenvolver soluções, também, a longo prazo, pelo que se torna, na prática, uma semana de partida para um ano de actividades que a todos nós deve envolver, nomeadamente nos nossos comportamentos rodoviários, enquanto utilizadores do meio público, assim como no desenvolvimento de soluções.

 Objectivos rodoviários de longo prazo

Um dos objectivos que a iniciativa tem, de longo prazo, é o melhoramento do desenho das vias de circulação. Outro é proporcionar educação e formação a todos os utilizadores da estrada. Estes dois pontos fizeram-me lembrar o trágico acidente que ocorreu na estrada nacional 111, na zona de Tentúgal. Melhorar o desenho da via e formar e educar os seus utilizadores.

Esta estrada nacional 111, que liga a Figueira da Foz a Coimbra é, sem qualquer dúvida, uma estrada de elevado perigo para os seus utilizadores. E é-o porque é constituída por uma via de circulação que atravessa localidades, muitas, proporcionando em toda a sua extensão troços de via que permitem que condutores mal formados ou não educados tenham comportamentos de risco.

Os perigos da Estrada Nacional 111

Esta sempre foi uma estrada onde a sinistralidade rodoviária grave esteve presente. Há alguns anos atrás esteve sujeita a uma intervenção, em alguns troços, por forma a diminuir ou eliminar os riscos elevados que a si estavam associados. Acontece que muito ainda há por fazer, nomeadamente a introdução de mais separadores centrais de divisão de correntes de tráfego.

Com a introdução destes separadores, conseguiria-se evitar a realização da manobra de ultrapassagem em locais onde a visibilidade é muito limitada, no entanto locais que promovem a possibilidade de um aumento de velocidade.  Se é verdade que existe sinalização limitadora de velocidade, não é contudo menos verdade que isso, só por si não consegue com que essa imposição seja respeitada.

Soluções exequíveis para a Estrada nacional 111

Sendo esta estrada nacional 111 um perigo acrescido para a segurança rodoviária, torna-se urgente uma intervenção por parte das autoridades, não no sentido de “caçar” infratores, mas sim no conceito pedagógico e preventivo, nomeadamente introduzindo os separadores de tráfego, criando zonas de circulação pedonal mais seguras, vias de utilização exclusiva a tratores agricultas, uma vez que entre Montemor-o-Velho e Geria o tráfego destes veículos é considerável, e também afixação de cartazes de de sensibilização aos utilizadores da via.

Outra introdução que deve ser considerada nesta via, são os locais onde se possa efectuar inversão de sentido de marcha em segurança, tal como já se vê em tantas outras vias, assim como a criação de mais ilhéus direcionais para quem deseja mudar de direcção à esquerda.

Foto¦ Google Maps