Balanço da sinistralidade rodoviária no verão de 2017

Sinistralidade no verão pintou as estradas portuguesas com tons de vermelho

A sinistralidade rodoviária nos meses de verão de 2017 foi mais grave do que a verificada no ano passado. Os números dão que pensar.

A GNR monta todos os anos por altura do verão uma operação especial destinada a acompanhar os veraneantes que se deslocam de veículo para os destinos de férias, sejam eles campo ou praia. A operação Hermes alicerçou-se este ano de 2017 em seis fases, que coincidiram com períodos do verão, sobretudo, fins-de-semana, em que o fluxo de trânsito nas estradas nacionais foi particularmente intenso. Como se portou a sinistralidade rodoviária no verão 2017? As seis fases principais de fiscalização rodoviária da operação Hermes 2017 foram as seguintes:

1ª fase: de 30 de junho a 2 de julho

2ª fase: de 14 a 16 de julho

3ª fase: de 28 a 30 de julho

4ª fase: de 11 a 13 de agosto

5ª fase: de 25 a 27 de agosto

6ª fase: de 1 a 3 de setembro

Comportamentos de risco vigiados

Para além da atuação preventiva e de apoio, os militares da GNR empenhados, do efetivo da Unidade Nacional de Trânsito e dos Comandos Territoriais, estiveram particularmente atentos aos comportamentos de risco que colocaram em causa a segurança rodoviária, nomeadamente:

Apesar de ser apenas uma visão parcelar, visto não cobrir a totalidade dos meses de férias de verão, a operação Hermes dá-nos, no entanto, uma panorâmica do que foi o comportamento na estrada dos condutores nos momentos pendulares do verão, aqueles em que o movimento rodoviário é mais crítico, tanto da parte de quem vai para férias, como da parte de quem regressa de férias.

Resultados da operação Hermes no verão

Reunimos neste gráfico de barras animado os resultados destas seis fases da operação que a GNR, em cada um dos momentos, foi dando conta, salvaguardando-se o seu carácter provisório, já que no final das seis fases desta megaoperação, a GNR efetuou um balanço final, no qual, após uma reavaliação das estatísticas e dos Boletins Estatísticos de Acidentes de Viação (BEAV), ajustou os números.

Verificamos, ainda assim, que, em média, nestas seis fases houve sempre para cima de 600 acidentes com vítimas. E ainda mais relevante: houve sempre alguém a perder a vida na estrada.

Já no balanço total, após as seis fases da operação Hermes, a GNR apurou os seguintes números:

 

A estas cifras há ainda a acrescentar 1503 feridos ligeiros, mais 530 do que no ano passado.

“Infelizmente, apesar dos nossos esforços, verificamos estes resultados”, referiu à estação de televisão TVI, Paulo Gonçalves, major da GNR.

20 mil infrações detetadas

O número total de infrações contabilizadas pela GNR fala por si: 20 mil infrações nestas seis fases da operação Hermes, “o que é muito, face aos conselhos que damos todos os dias”, refere a GNR.

A questão do excesso de velocidade merece destaque, com a GNR a detetar 3429 casos de viaturas em excesso de velocidade.

De acordo com os elementos estatísticos da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), tivemos nos meses de junho um total de 2976 acidentes com vítimas e em julho essa realidade representou 3196 acidentes. As estatísticas de agosto e de setembro ainda não estavam disponíveis. Ainda segundo a ANSR morreram nas estradas 32 pessoas em junho e 46 pessoas em julho. Também ainda faltam os elementos de agosto e setembro para termos a fotografia completa.

Ou seja, e ainda que faltem divulgar as estatísticas de agosto e de setembro, a tónica é: houve mais acidentes, mais mortos e mais feridos nos meses de verão deste ano.

De 1 de janeiro a 21 de setembro deste ano, a ANSR registou 92165 acidentes (mais 680 do que nos mesmos dias de 2016). Houve ainda 365 mortos (mais 53) e 1567 feridos graves (mais 38).

Fotos: GNR, travelandleisure.com