Os carros modernos valem mais que seus predecessores?

 

Em todos os lançamentos de novos modelos é anunciado um rol de melhoramentos e capacidades mais apelativas. Mas será mesmo assim em todas as novas versões? Será que as todas as versões mais recentes são melhores que as antigas?

Será que as promessas são reais? Será só a ilusão da novidade? Será que os modelos anteriores simplesmente perderam valor? Qual o real impacto na carteira de quem os compra. Vamos analisar alguns casos para que tire as suas ilações.

Em outros artigos já comentei acerca da qualidade de marcas e modelos. Já escrevi sobre a evolução da industria automóvel e o fato de que atualmente quase todos os carros serem relativamente bons. Já não existem falhas gritantes como nos modelos antigos, especialmente os anteriores aos anos 80.

A nossa escolha é que muitas vezes peca por não ser a adequada para o que realmente necessitamos. Pois, acabamos por escolher o carro do ano, ou o último sucesso de vendas, que não possui as caraterísticas que necessitamos na realidade. Pois, na verdade, reclamamos mais pela falta de adequação do carro e raramente por falhas intrínsecas dos mesmos.

Na verdade, qualquer marca que apresente um problema é obrigada, pelas entidades nacionais que controlam a qualidade e as normas da indústria, a fazer a recolha das unidades defeituosas. São os infames recall’s, que todas as marcas sofrem e que servem para corrigir problemas pontuais dum lote de veículos.

Mas será que a indústria realmente evoluiu muito nos últimos anos? Aparentemente os carros mais recentes são superiores a todos os apresentados até então. Eles anunciam-se como sendo mais confiáveis, mais capazes e mais “exploráveis”. Será que o preço evoluiu na mesma medida?

Três ícones em comparação

Na tentativa de descobrir a verdadeira da evolução, a revista EVO comparou três referência da indústria. Foram escolhidos o Volkswagen Golf GTI, o BMW M3 e o Porsche 911 Turbo. Curiosamente todos alemães. Estes modelos são referência, cada um no seu segmento, e continuam a serem fabricadas novas versões desde as origens nos anos 70 e 80.

Mas será que os carros modernos custam mais que os seus predecessores? A análise da revista inglesa comparou o preços no Reino Unido. Será que estamos a pagar mais comparativamente ao passado? Nada como ver os números.

Foram analisados os preços de venda e calculado qual o impacto da inflação no respetivo preço. Em 1995, um Golf GTI estava à venda por £13.745, um BMW E36 M3 custava £33.850 e um por um Porsche 911 3.6 Turbo eram pedidas £91.950. Mas hoje, os mesmos carros, estão listados por £28.575, £56.385 e £128.692, respetivamente.

Os preços base dos carros desta análise corrigidos pela inflação seriam £25.120 para o VW, £61.865 para o BMW e £168.000 para o Porsche. Aqui conseguimos perceber que a Volkswagen subiu o preço em relação à base de comparação. As outras duas marcas alemãs foram no sentido inverso. É algo que surpreende, pois, a exclusividade destas marcas levaria a supor que a evolução seria contrária.

Analisando os preços

Examinando mais aprofundadamente os valores pedidos podemos chegar à conclusão que comprar um Porsche 911 Turbo hoje é mais barato que era há uns anos atrás. Pois se antes pediam a um cidadão do Reino Unido £168.000, hoje pedem £128.692. trata-se duma redução muito significativa, são 24% a menos!

No caso do BMW M3 o valor também baixou, eram £61.865 e agora é vendido por £56.385, a redução foi de 9%. O caso do Volkswagen é paradigmático, trata-se do único cujo valor subiu, passou de £25.120 para £28.575. A subida foi de 14%.

Mas para perceber diferença de esforço necessária em Portugal para adquirir estes modelos, precisamos saber o custo no nosso país. O preço atual tabelado para a versão mais simples do Volkswagen Golf GTI é de €48.310. O BMW M3 tem como preço base €98.934. O Porsche 911 Turbo é proposto por €210.886.

Quanto “custa” comprar estes carros?

Proponho que façamos as contas de forma diferente. Partamos do ordenado em cada um dos países e vejamos o custo para adquirir estes modelos com o valor da remuneração mínima. Em Portugal o valor é de €580 por mês, no Reino Unido o valor está nas £1.354. Para simplificar esqueçamos as diferenças de cotações cambiais e de custo de vida.

Façamos só o cálculo de meses para pagar cada um dos carros usando a totalidade do ordenado mínimo. Para compra o Golf GTI em Portugal são necessários 83 meses, no Reino Unido são 19. Mas no caso do BMW M3 um trabalhador com o vencimento mínimo português necessita de 171 meses e no caso britânico são 42. São quatro vezes menos.

Mas para um Porsche 911 Turbo, um português que consiga disponibilizar mensalmente o valor do ordenado mínimo demorará 364 meses para o pagar… dá um pouco mais de 30 anos! Aliás, seriam 30 anos se a operação de parcelamento fosse isenta de juros!

Um cidadão da terra de sua majestade demorará 95 meses a despender o valor equivalente ao salário mínimo local. Resumindo custa pouco mais a um trabalhador em Portugal comprar um Golf GTI que a um trabalhador britânico comprar um Porsche 911 Turbo… na verdade são 12 meses de ordenado mínimo!

Foto | Wikimedia