Vítimas mortais na estrada: quem morre mais?

acidente_carro

Este ano, até 15 de novembro, morreram 391 pessoas nas estradas de Portugal. No mesmo período de 2015, o número de mortos rodoviários tinha sido de 416 e em 2014, a estatística da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) assinala 415 vítimas mortais. Quem são estas pessoas e que tipo de situações originaram este desfecho?

Nesta contabilidade da ANSR estão apenas ainda as vítimas cujo óbito ocorre no local do acidente ou durante o respetivo transporte até à unidade de saúde (ainda não são contabilizados os chamados “mortos a 30 dias”). Relativamente ao mesmo período temporal do ano passado, o número de mortos é inferior, mas o número de acidentes aumentou, passando de 106.595 acidentes para 110.629.

Quanto aos feridos graves (que são vítimas de acidentes cujos danos corporais obrigam a um período de hospitalização superior a 24 horas, que muitas vezes também acabam, lamentavelmente, por falecer), regista-se uma diminuição, quando comparamos o mesmo período de tempo do ano transato (1 de janeiro a 7 de novembro): 1.975 feridos graves em 2015 contra 1.797 feridos graves em 2016.

Condutores em primeiro lugar

Olhando agora para os dados completos e totais do ano 2015, das 593 pessoas que perderam a sua vida numa estrada portuguesa (já contabilizados aqui os mortos a 30 dias), 363 eram condutores dos mais variados tipos de veículos. Houve ainda 146 peões que morreram atropelados. Os restantes 84 falecimentos foram de passageiros de todo género de veículos.

Veículos ligeiros dominam

A maioria dos mortos assinalados pela ANSR seguiam em viaturas ligeiras (num total de 264 pessoas, entre condutores e passageiros). Ainda em termos de veículos, houve ainda registo de 73 pessoas que morreram quando viajavam num motociclo, fosse na qualidade de condutor, fosse na qualidade de passageiro.  As vítimas segundo a categoria de veículo que aparecem como as seguintes mais numerosas na estatística oficial são as de ciclomotores (42 mortos, entre condutores e passageiros) e velocípedes (25 mortos, entre condutores e passageiros).

Mortos por escalão etário

Por idades, a maior parte das 593 vítimas rodoviárias mortais no ano de 2015 foram de pessoas com idades iguais ou superiores a 65 anos. Nesta sinistralidade, encontramos 177 pessoas desta faixa etária.

O segundo escalão mais afetado pela mortalidade rodoviária em 2015 foi, ainda segundo a estatística da ANSR, o dos 25 aos 39 anos: 116 vítimas mortais.

O terceiro escalão etário onde houve uma maior incidência de mortalidade rodoviária é o dos 40 aos 49 anos: 87 pessoas mortas em 2015, nas nossas estradas.

Até aos 24 anos, perderam a vida 69 pessoas nas estradas nacionais.

Com um total de 55 vítimas mortais, o relatório da ANSR coloca as pessoas de 60 a 64 anos no quinto lugar desta hierarquia.

Na faixa etária de 50 a 54 anos de idade, encontramos 49 pessoas mortas num acidente de viação.

Por fim, a ANSR assinala igualmente a ocorrência de 38 pessoas mortas entre as pessoas de 55 a 59 anos.