A chave para cuidar das mudanças manuais está na forma de conduzir

caixa de velocidades

As mudanças automáticas começam a ser um dos pedidos mais frequentes nos concessionários de automóveis. Mesmo assim, a maioria dos carros saem de fábrica com transmissão manual, mas poucos condutores são conscientes que a sua forma de conduzir é o melhor modo de cuidar a mudança manual.

A máxima para cuidar da caixa de velocidades manual é simples: fugir de uma condução agressiva para, em seu lugar, pilotar de forma suave e descontraída. A esta somam-se três conselhos para que os componentes da caixa de mudanças durem o máximo possível:

– Utilizar bem a embraiagem. Isto consiste em, entre outras coisas, não deixar o pé apoiado quando não for necessário ou colocar sempre o carro em ponto morto nos semáforos.

Cuidar da palanca de mudanças. Deixar a mão apoiada sobre o manípulo de mudanças é, talvez, um dos hábitos mais comuns nos condutores, que não sabem que com esta ligeira pressão estão a retirar tempo de vida útil à caixa de velocidades.

– Manutenção. O recomendável é passar pela oficina para verificar o estado da caixa de velocidades pelo menos uma vez por ano. Nas oficinas deve-se comprovar o nível da vavulina, que é o lubrificante específico. O habitual é renová-lo a cada 5 anos ou 80000 km, algo que muito raramente é feito.