As “doenças” do motor

Todos os motores modernos recebem inovações técnicas que os tornam menos poluidores e mais poupados. No entanto, a fiabilidade não evolui do mesmo modo e por isso são também cada vez mais atreitos a avarias. O Circula Seguro dá-lhe conta de algumas delas.

Longe vai o tempo em que os motores duravam “uma vida”. Os propulsores atuais apresentam desempenho superior, são mais silenciosos, consomem e poluem menos, mas também são mais frágeis e com tendência para avariar mais facilmente. Mas a responsável por grande parte destas avarias é a eletrónica. Algumas delas são anuladas e retificadas logo no início de vida do modelo, outras há que se tornam crónicas e numa dor de cabeça para os concessionários.
Muitas dessas avarias acabam por ser dispendiosas. Por todos estes motivos, a sua atenção a qualquer alteração de comportamento do motor – ruído estranho, aviso no painel de instrumentos – é muito importante, evitando prolongar o problema ou adiando a ida à oficina.
De qualquer forma, apesar de todos os cuidados que possa ter com o seu motor, como máquina complexa que é, pode avariar ou falhar. Por isso, para que perceba minimamente o que se passa com o seu automóvel se uma situação anormal acontecer, leia o que lhe contamos neste texto.

 

O motor tem falta de força


Possíveis causas

– Falta de compressão do motor devido a desgaste excessivo dos cilindros
– Desafinação das válvulas
– Fugas de compressão por desajuste da cabeça do motor
– Sujidade no filtro de ar, óleo ou no cárter
– Lubrificante (óleo) demasiado espesso
– Embraiagem a patinar (desgaste)
– Travões presos
– Escape obstruído
– Mau funcionamento do sistema de refrigeração

 

Ruídos estranhos no motor

Possíveis causas

– Se o motor “grita” nas subidas, pode haver desafinação do ponto do motor; desafinação das válvulas ou excesso de carvão nas câmaras de combustão.
– Êmbolos ou segmentos partidos.
– Engrenagens ou correia da distribuição desajustada
– Ventilador a roçar no radiador
– Correia da transmissão frouxa ou que patina
– Tubo de escape, panelas ou coletores rotos, ou com fugas nas respetivas uniões.
– Todos os ruídos que surjam de pelas em movimento rotativo são agudos ou do tipo sirene. Os ruídos secos ou do tipo pancada devem-se ao impacto de metal com metal e exigem assistência urgente.

 

O motor aquece demais

Possíveis causas

– Arrefecimento insuficiente por: falta de liquido da refrigeração ou deterioração de algum mecanismo de circulação do liquido de arrefecimento ou de lubrificação (bomba de água, bomba de óleo, termostato, ventoinha do radiador)

 

O consumo é excessivo

Possíveis causas

– Desafinação da injeção
– Sujidade nos injetores ou defeito nestes
– Perda de combustível por juntas ou tubagens ressequidas ou em mau estado
– Falta de compressão por desgaste dos cilindros
– Desafinação geral do motor

Fumos de escape de coloração anormal

Possíveis causas

– Se o fumo é azulado, o motor está a queimar óleo, o que, por sua vez, se deve ao desgaste de peças fundamentais do motor.
– Se o fumo é escuro, a causa está na excessiva entrada de combustível na câmara de combustão em relação ao ar nela existente, o que produz uma descompressão da mistura.
– Se o fumo é acinzentado, o filtro de ar está entupido ou os injetores estão deficientes. Também pode dever-se a desafinação das válvulas ou problemas na bomba injetora.

 

O motor para ou não arranca


Possíveis causas

– A bomba de gasóleo não envia combustível suficiente para os injetores ou, simplesmente, não está a funcionar.
– Falta de gasóleo no depósito.
– Tubagens da alimentação a ar com fuga, o que provoca falhas na chegada de combustível ao motor.
– Injeção desafinada ou injetores entupidos devido a uso excessivo ou envelhecimento dos filtros.

 

Conselhos para aumentar a longevidade do motor do seu carro

– Não force o motor a frio. Arranque com suavidade quando o motor estiver abaixo da temperatura normal de funcionamento. Obrigar o motor a regimes elevados quanto este estiver frio pode danificá-lo seriamente ou encurtar a sua duração.

– Não force as prestações do motor. A potência máxima de cada motor é atingida a determinada rotação, valor que vem indicado no livro de instruções da viatura. Não rode acima deste regime com muita frequência.

Mude de relação de caixa no tempo devido. Respeite o momento de passagem de caixa em relação ao regime de rotações atingidas pelo motor. Preste atenção ao que indica o conta-rotações. Todos os carros novos contemplam um indicador de passagem de caixa. Tente perceber quando lhe diz para aumentar ou para reduzir. Não “pise” o “red line”. Se não tive indicador de passagem, preste atenção ao ruído do motor.