Evite os dispendiosos toques urbanos

PequenoToquesUrbanos_2016

Uma distração pode ser fatal para o seu orçamento. Uma batida ligeira que danifique o para-choques e um grupo óptico pode facilmente ultrapassar os 500 euros. Siga o conselhos e dicas do Circula Seguro.

Os pequenos toques no trânsito urbano, conhecidos por “só chapa” são os mais comuns e nem sempre são comunicados à seguradora, preferindo o culpado assumir os riscos da reparação. Nos últimos anos, as seguradoras têm vindo a registar menos participações de sinistros deste tipo, e a relação com a crise é direta porque a utilização do automóvel tem vindo a ser reduzido pelas famílias.

De acordo com alguns estudos, as segundas-feiras registam mais ocorrências que os restantes dias da semana. Domingo e quarta-feira são os dias com menos acidentes. Portanto, preste atenção aos dias da semana e aumente a sua concentração ao volante. Neste post pode ficar a conhecer alguma dias e truques para evitar estes percalços que só dão dores de cabeça, com burocracia, papelada e… despesa.

A rotina é um inimigo

Já conhece de olhos fechados o percurso, até sabe os tempos dos semáforos e quando mudam a cor, as passadeiras e os peões são mais distraídos e afoitos. Tudo isto pode ser uma ajuda importante, mas o seu cérebro já fez o percurso em automático e permite-se as distrações próprias da confiança. Tudo isto é o suficiente para se ver implicado num acidente. Basta um simples imprevisto para que reaja tarde demais. Nunca facilite nos percursos conhecidos.

Parar e programar o GPS

No caso contrário ao anterior, em que não conhece o percurso e tem de recorrer ao GPS, o nosso conselho é para que o faça com o carro parado num local onde não interfira com o trânsito. Fazer operações no GPS em movimento é acidente certo. Se falar ao telemóvel é um perigo, programar o GPS duplica as probabilidade de sofrer um acidente.

Cuidado com o carro da frente

Quando circula atrás de outro carro que rola a uma velocidade anormalmente reduzida ou está a fazer manobras estranhas, tenha muito cuidado. É possível que o condutor desse carro esteja a falar ao telemóvel ou simplesmente perdido. Quem se encontra nesta situação, nunca faz “piscas”, trava em cima do “acontecimento” e não sabe bem para onde vai.

Respeite a prioridade

Metade dos acidentes que ocorrem na cidade, têm como pano de fundo os cruzamentos. SE tem a prioridade não a dê como totalmente confiável pois pode cruzar-se com alguém distraído que nem se lembrou das regras da prioridade. E nos semáforos, deixe abrir o verde e olhe sempre com atenção par não lhe aparecer um vermelho-amarelado que arriscou passar o semáforo.

Distância de segurança

Quando o carro à sua frente anda à procura de estacionamento, não se cole à sua traseira, pois ele vai travar de repente para confirmar o lugar. Tenha paciência porque nas colisões citadinas esta situação recolhe 18,6 por cento do total. Não faça parte das estatísticas.

Não obstrua a via

Se vê que vai ficar parado no cruzamento, o melhor é não avanaçar e fique onde está. Ao entrar no congestionamento. Ao entrar no congestionamento vai colocar-se numa situação de risco com todos os “congestionadores” a quererem avançar rapidamente. Nesta ansiedade acontecem acidentes e pequenos toques.