O que é uma válvula EGR e quanto custa substituí-la?

válvula egr

A válvula EGR chama-se assim por causa da sua sigla em inglês (Exhaust Gas Recirculation) que se encarrega de reduzir as altas temperaturas que são alcançadas na câmara de combustão, as quais influenciam a quantidade de óxido de nitrogénio que é produzido. A substituição da válvula EGR custa, em média, cerca de 350 euros.

Desde 1996 que existe uma normativa que obriga todos os novos modelos a utilizarem a válvula EGR entre o coletor de admissão e o de escape, sendo o elo de comunicação entre ambas as peças. A sua função é a chave na hora de reduzir as emissões tóxicas que são produzidas na combustão. Numa primeira fase apenas os modelos Diesel utilizavam este dispositivo, todavia por causa da sua eficiência foram instauradas normas para que todos os veículos a começassem a utilizar. Atualmente, são muitos os painéis de instrumentos que incluem um testemunho encarregado de avisar se a válvula EGR funciona ou não corretamente.

Como reduz as emissões?

Tal como se escreve acima acima, o propósito da válvula EGR é reduzir a quantidade de óxido de nitrogénio (NOx) que é produzido pelo automóvel, baixando a temperatura da câmara de combustão. Depois redistribui os gases de escape que vão até à admissão. Ao entrar menos quantidade de oxigénio nos cilindros, a explosão é mais suave e, por isso, não se produzem tantos gases prejudiciais.

O seu funcionamento depende da informação que é recolhida pelos sensores do motor durante a aceleração: estes dados são enviados ao módulo ECU (a centralina) e esta determina quando a válvula deverá abrir ou fechar.

O preço médio para a substituição de uma válvula EGR é de 350 euros. Não a repare, pois o seu mau funcionamento pode provocar avarias muito graves no motor ou em outras peças periféricas.

Há dois fatores cruciais para conservar o bom estado da válvula EGR: por um lado é preciso prestar atenção aos combustíveis “low cost”, sobretudo se for Diesel.

válvula egr

O outro aspeto fundamental passa por tentar não rolar com o motor num regime de rotações muito baixo, pois assim os gases prejudiciais estão a circular constantemente pela válvula, deixando nela diferentes partículas que progressivamente vão deteriorar a peça.