Escola de condução – de contra-ordenação a legalidade

A prevaricação descarada de certas escolas de condução

É incrível como uma acção que era considerada transgressão e sancionada com contra-ordenação passa, de um momento para o outro, contra todos os argumentos formativos e pedagógicos que eram esgrimidos, a ser admitida, protegida por Lei.

Se há relativamente pouco tempo se movimentavam nos respectivos meios, todos e mais alguns técnicos da opinião, ou opinadores, das diversas instituições ligadas ao ensino e avaliação de futuros condutores, hoje esses argumentos esfumam-se num vazio e deixam de ter razão de existência.

A quem interessa que se alterem leis?

Se até há relativamente um par de meses uma escola de condução era autuada, por quem a fiscaliza, se ministrasse duas lições de motociclo em simultâneo, hoje a realidade é outra; podem ser ministradas, por uma escola de condução, lição de condução a dois alunos na mesma hora.

Se se alegava que pedagógicamente não era correcto e que a qualidade da formação estava condicionada, hoje, com a alteração da lei, por razões que ainda não consegui entender, a formação de qualidade deixa de estar em causa e a atenção que se centra nos formandos é total e de alta qualidade. Afinal, um formador tem dois olhos, logo pode dirigir um olho para cada aluno.

Depois, havia o IMT, nas suas fiscalizações e legislação em vigor, à data, que alegava ser impossível registar duas lições à mesma hora para o mesmo formador. Sinceramente não sei como estará o programa de registo de lições práticas. Deverá ter sido adaptado para servir alguém.

Para terminar, coloca-se a questão do custo pago pelo formando. Afinal, está a pagar uma lição, mas está a partilhar o tempo de formação com outro formando que, por sua vez, também a está a pagar; ou seja, ambos pagam uma lição, o que dá duas lições ganhas pela escola de condução, mas têm de partilhar o tempo de formação. Na teoria é uma coisa, mas na prática é outra.

Apenas posso concluir que esta lei serve apenas para servir alguém e que foi elaborada e aprovada por quem não faz a minima ideia o que é ministrar uma lição prática de motociclo. Terá sido pensada por algum opinador legislador com um amigo dono de um alvará de uma escola de condução e que quer ganhar mais dinheiro a fazer menos.