Exame de condução ou aprendizagem contínua na escola de condução?

Exame de condução ou formação contínua na escola de condução

Na escola de condução, uma candidato a condutor, quando lá entra, fá-lo com objectivo de encontrar um parceiro que lhe proporcione uma aprendizagem capaz de o transformar num activo no meio rodoviário com um valor acrescido.

Mas, esse candidato a condutor sabe, que não lhe basta frequentar um programa de formação para que lhe seja reconhecida capacidade e competência para ser um condutor credível no meio rodoviário; esse candidato será avaliado num processo de avaliação final. Assim, será melhor realizar um só exame de condução ou é preferível reforçar o que já se sabe e conhece com uma aprendizagem contínua na escola de condução?

Conseguirá uma avaliação de 45 minutos uma credibilidade verdadeira?

A questão que se coloca é exatamente esta, após uma formação acompanhada por um formador competente e credenciado e de uma formação planificada e contínua, estarão os candidatos capazes de ter uma avaliação credível e capaz num período de apenas 45 minutos? A resposta é negativa.

Não que os examinadores que prestam tal serviço não tenham competência para avaliar. Não se trata disso. Trata-se de que uma avaliação final jamais será melhor do que uma avaliação contínua, uma vez que essa avaliação seguida é proporcionada pelo elemento que realmente conhece a forma de agir e reagir do candidato a condutor, assim como é esse mesmo elemento (instructor) que tem o conhecimento pessoal do candidato para poder interferir de forma pedagógica.

Uma vez que assim é, obter-se-iam melhores resultados a médio/ longo prazo com uma formação e avaliação contínua, formação essa que poderia passar por horas extra para além do período actualmente consagrado na legislação para se frequentar uma formação em escola de condução.

Foto¦ CTS