Normas para pneus de pesados

Os pneus são mais do que borrachas redondas e pretas que envolvem as jantes. São um dos principais garantes da segurança de todos os veículos. Quem conduz veículos pesados tem a seu cargo uma máquina que exige ainda mais cuidados com estes elementos.

Os cuidados extra são necessários não só pela maior dimensão, mas essencialmente pelo peso que têm. O aumento da massa do veículo provoca diversas limitações. O elemento que suporta tudo isto são os pneus, vamos então conhecer as normas para pneus de pesados .

Regulamento para pneus de pesados

Os pneus de pesados são regulamentados pelo Decreto Regulamentar n.º 7/98, que estabelece, entre outras coisas, as normas relativas ao relevo dos desenhos dos pisos dos pneus, para diferentes tipos de veículos.

Esta é a lei que define, no seu Artigo 6.º, que os automóveis ligeiros e os reboques de peso bruto não superior a 3500 kg não podem transitar na via pública sem que o piso de todos os seus pneus, incluindo o de reserva, quando obrigatório, apresente em toda a circunferência da zona de rodagem desenhos com uma altura de, pelo menos, 1,6 mm nos relevos principais.

Especifica ainda as normas para os motociclos, bem como os automóveis e os reboques não abrangidos pelo disposto no número anterior. Nele podemos saber que estes não podem transitar na via pública sem que o piso de todos os seus pneus, incluindo o de reserva, quando obrigatório, apresente em toda a circunferência da zona de rodagem desenhos com uma altura de, pelo menos, 1 mm nos relevos principais.

Entende-se por relevos principais os relevos largos situados na zona central da superfície de rodagem. Esta cobre cerca de três quartos da largura da superfície. Considera-se zona de rodagem, a área do pneu que, em pressão normal, em alinhamento recto e em patamar, toque o solo.

Resumindo, os veículos ligeiros devem ter um relevo de 1,6 mm e os pesados um relevo de 1 mm. O decreto atrás referido entrou em vigor no dia 31 de Março de 1998.

A gestão dos pneus nas empresas

Em termos de negócios que envolvem viaturas pesadas, os pneus são uma fatia importante dos custos, que quando não são verificados regularmente são elementos que provocam despesas adicionais.

No setor dos pneus para camiões e autocarros se trocar os pneus demasiado cedo, estará a desperdiçar milímetros preciosos de borracha e, consequentemente, valiosos recursos financeiros.

O mesmo se aplica à pressão dos pneus, se for demasiado alta ou demasiado baixa, o resultado é um desgaste excessivo dos pneus, um aumento visível das despesas com combustível e pneus danificados.

As viaturas pesadas estão sujeitas a esforços e jornadas de trabalho extensas, sendo por isso particularmente importante uma correta gestão das mesmas. Um pneu furado pode significar a imobilização do pesado com custos elevados para a empresa.

A fim de permitir a redução de emissões de dióxido de carbono, por proposta da União Europeia, foi legislada a subida do limite de peso permitido nos veículos para passageiros de dois eixos de 18 para 19 toneladas.

Assim, torna-se mais eficiente o transporte rodoviário de passageiros, para as empresas, pois permite o transporte de um maior número de pessoas, com uma maior rentabilidade e um menor impacto ambiental.

Foto | Jarmoluk