Circulação condicionada a determinado tipo de peões em determinadas ruas da cidade de Coimbra, colocam-nos em perigo

Determinadas ruas de Coimbra condicionam a segurança dos peões, devido ao mau estado do pavimento

A circulação de determinado tipo de peões está condicionada na baixa conimbricense, nomeadamente junto à estação de caminhos de ferro. Neste caso especifico, a circulação ou o local onde ela se deve fazer, naquela zona, a que me refiro, é a via beira rio, bastante utilizada não apenas por condutores, mas essencialmente por peões.

Para quem conhece o local, percebe perfeitamente que muito é o trânsito que por ali se realiza às mais diversas horas do dia, desde a aurora até noite adentro. E sabe perfeitamente que, por dificuldade de estacionamento na baixa, aquela via de circulação é bastante utilizada, também, para estacionar, ainda que de forma errada.

Senhor presidente, quero passar! Como faço?

Coimbra é, para além da capital de distrito, uma cidade que recebe diáriamente centenas de milhares de pessoas, tal como outras cidades. Pessoas essas que ali se deslocam para irem trabalhar, à procura de serviços ou simplesmente para fazerem turismo.

Acontece que, infelizmente, nem todas as pessoas têm a mesma capacidade de mobilidade, o que faz com que também não tenham a mesma capacidade de superarem barreiras arquitectónicas criadas pelo homem quando na elaboração das vias de circulação.

Não estou apenas a referir-me a pessoas com dificuldades motoras ao nível de cadeiras de rodas ou andarilhos; refiro-me igualmente à capacidade de circulação de idosos, invisuais e pessoas acompanhadas por crianças ou sujeitas a carrinhos de bebes.

Circulação condiciona a segurança de peões na baixa de Coimbra

Para quem não conhece o local, sugiro que atentem à imagem acima e percebam  a dificuldade de circulação de que vos escrevo, se do lado da estação os passeios são demasiado estreitos, incapazes de permitir, por exemplo, a circulação de uma cadeira de rodas, ainda mais com a colocação dos candeeiros de iluminação publico mesmo no meio do caminho, outra coisa que não se compreende, do lado esquerdo são as árvores que foram plantadas. à época, em local impróprio.

Associando a esta diária realidade o facto dos condutores estacionarem mal as suas viaturas, ficamos na presença de uma via de circulação de risco elevado e dificuldade extrema para a mobilidade daqueles que não a têm tão boa quanto o desejavam.

Coloca-se, então, a questão; Senhor Presidente, quero passar! Como faço?

Foto¦ Google Map