O início das aulas afeta a sua rotina?

Quando os filhos ingressam, ou regressam, à escola é necessária uma logística diferente daquela a que estávamos habituados. São novos percursos, novos horários e rotinas diferentes logo pela manhã. As aulas alteram as rotinas pré-estabelecidas de quem tem filhos em idade escolar.

Mas será que para quem não tem filhos em idade escolar, ou quem simplesmente não tem filhos, o início das aulas afeta a rotina? Descubra como e de que forma poderá o início do ano letivo escolar alterar a sua vida.

Preparação para o início das aulas

As aulas estão prestes a começar. Na noite anterior ao primeiro dia de aulas prepare a mochila com o necessário, garanta que está organizada e não demasiadamente pesada devido a itens desnecessários. O excesso de peso da mochila é prejudicial para a criança.

Aproveite a noite anterior às aulas para deixar preparada a roupa que pretende levar, assim como a das crianças. Não esqueça o calçado. Assim todos serão mais rápidos a se prepararem para sairem de casa. Acredite, todos os minutos ganhos serão um auxílio precioso.

Na manhã das aulas acorde um pouco mais cedo, assim poderá “gerir” algum imprevisto, podendo resolvê-lo sem se atrasar. A margem que deve prever será aquela que considerar como suficiente para que se sinta à vontade.

Segurança sempre em primeiro lugar

Se entrar em stress a sua criança irá também ser afetada e reagirá de acordo ao seu estado. Lembre-se que “stress gera stress”. Planos de contingência só funcionam se bem previstos. Faça cedências onde não conseguir cumprir o seu horário, mas nunca em questões de segurança.

Apesar da palavra stress ter ganho um sentido negativo, a sua existência não é negativa. Trata-se de um mecanismo de reação que é ativado perante um problema. Permite dotar-nos dos recursos necessários para encontrar a resposta adequada a determinado problema com que nos deparamos.

O stress surge em situações pessoais de insegurança e incerteza. Estas situações estão relacionadas com diversas exigências e desafios com que nos deparamos. Neste caso específico será a conjunção da falta de tempo, do deparar-se com situações novas e a necessidade de resolvê-las de forma célere.

Quando sabemos que podemos ser confrontados com este tipo de situação devemos preparamo-nos. Se o receio maior é demorar mais na estrada, porque todos os pais estão a levar as crianças à escola, antecipe a hora de saída de casa.

Quem não tem a tarefa de ir deixar os filhos na escola é afetado?

E quem não tem crianças, ou não lhe cabe a tarefa de as levar à escola, é afetado? Claro que sim! É normal um aumento de tráfego, com este surge o aumento de engarrafamentos. O número de condutores impacientes também aumenta proporcionalmente.

Com o aumento de veículos em circulação naturalmente diminuem os lugares de estacionamento disponíveis. Seja paciente e aja sempre com bom senso. A paciência será uma virtude muito valorizada nos primeiros dias de aulas, até todos se terem adaptado às novas rotinas.

E as crianças?

Um ponto fulcral para que qualquer tarefa, ou função, corra bem é a preparação. Se essa atividade envolve mudanças de rotina, a importância da preparação aumenta. A preparação implica o contextualizar o que se avizinha também para os mais novos.

Os mais pequenos se souberem que determinada situação poderá ocorrer poderão reagir melhor a ela. Diga-lhes o que esperar,  a preparação de todos também passa pelo campo mental. A concentração sofre influência dos estados de humor, da motivação, dos níveis energéticos e da confiança.

A forma de manter a concentração no momento de maior pressão ao conduzir é estando de forma consciente e preparada. Sabendo a focar a sua atenção nos aspetos que são realmente importantes, de forma calma e tranquila. A irritação e o stress dos outros não deverão afetá-lo.

Foto | Pixnio