Os peões e as condições urbanas de mobilidade

chuva004

Com a chegada do tempo chuvoso e a falta de preparação da via pública para esta realidade, os peões, que têm de utilizar o espaço global, por breves momentos ou por longos períodos, vêm chegar, novamente, um problema.

Circular à chuva

Acontece que, se no tempo seco essa necessidade não proporciona nenhum problema de maior, com o tempo chuvoso os peões ficam expostos a uma realidade bem diferente.

Sabendo-se que durante o tempo seco a limpeza dos sistemas de escoamento de águas pluviais é raro e mal efectuado, quando surgem as primeiras chuvas, esses mesmos sistemas entopem.

Tal acaba por fazer com que na faixa-de-rodagem se acumulem elevadas quantidades de água (poças), e muitos condutores insistem em circular sobre elas, ignorando a projeção de água que tal comportamento produz.

Os peões que têm de utilizar determinados espaços próximos dessas vias, estão assim sujeitos ao “chuveiro” provocado e dessa forma condicionados à sua confortável circulação.

Alterações urbanas essenciais

Sabendo-se que por esta ocasião existe a forte possibilidade de ocorrerem chuvas mais intensas, seria necessário que as entidades responsáveis procedessem atempadamente à limpeza da via e sistemas de escoamento de águas.

Sendo Portugal um país onde o tempo chuvoso, em condições normais, é superior ao tempo seco, torna-se necessário que os meios disponíveis para a mobilidade de peões seja melhorada, garantindo dessa forma um menor possibilidade de ocorrências desapropriadas aos peões.

Foto¦ Uma Fatia de Pão