Ponte Açude e a segurança dos peões

Ponte Açude e a segurança dos peões

A ligação entre a margem norte e a margem sul do rio Mondego, em Coimbra, pode efectuar-se por diversas pontes existentes na cidade. Uma dessas pontes tem o nome de “Ponte Açude” e é a que se encontra mais a jusante na cidade dos estudantes.

Nessa “Ponte Açude” que faz a ligação entre as margens do maior rio de Portugal, a passagem pode realizar-se através de dois tabuleiros, uma superior e outro inferior, sendo o superior aquele que maior fluxo de viaturas comporta, uma vez que está integrado no IC2. O outro é utilizado para transito local, ainda que com algum fluxo elevado.

Cruzamento de peões e condutores

Na passagem inferior da “Ponte Açude“, a segurança para peões e condutores é muito baixa. Tal deve-se ao facto de aquela passagem ser relativamente estreita, ainda que permita o cruzamento entre dois automóveis ligeiros, não tendo, no entanto, espaço destinado a que transita a pé. O que naquele lugar ainda é muita gente.

Sempre que no espaço que medeia uma margem e outra dois veículos e alguns peões se encontram, a segurança destes últimos está condicionada, uma vez que os condutores se aproximam de uma forma deles, capazes de os levarem pendurados nos espelhos retrovisores.

Sabendo-se que a velocidade deve ser bastante reduzida naquela ponte, a verdade é que há condutores que não a respeitam, transitando com andamento impróprio para a segurança de todos. Assim urge que, os senhores responsáveis pela autarquia da cidade de Coimbra, se tomem medidas por forma a proteger as centenas de peões que ali se deslocam diáriamente.

Esperemos que não aconteça naquele espaço um acidente graves, para que depois se venha lamentar o sucedido, apontar dedos inquisidores e nada continuar a fazer. A nossa contribuição está prestada. Aguardamos por parte de quem lá transita, peões e condutores, o maior respeito mutuo.