Projeto ELE.C.TRA – mobilidade sustentável

Motociclos eletricos

Cada vez mais e devido à enorme poluição que é produzida, não apenas pelo uso de combustíveis fósseis, mas principalmente pelo aumento do parque automóvel em diversos países da Europa, ao que Portugal não escapa, vão-se procurando soluções capazes de dar uma resposta positiva à necessidade de diminuir essa poluição, mas que sirva também o interesse de todos.

Com esta preocupação e apoiado pelo IEE – Intelligent Energy Europe, o projeto ELE.C.TRA visa a implementação de soluções de mobilidade sustentável, nomeadamente com a partilha de scooters elétricas. Este é um projeto transnacional que envolve o compromisso de instituições de 8 países europeus.

O projeto da mobilidade sustentável

A ideia-base do projeto assenta na possibilidade de se melhorar a qualidade de vida das cidades, agindo diretamente no transporte de passageiros que essas mesmas cidades albergam. Ou seja, promovendo novos meios de transporte e que não recorram aos combustíveis fósseis, consegue-se diminuir a emissão de gases poluidores para a atmosfera.

Sendo este um projeto que conta com a liderança de do município de Génova (Itália), nove é o número de outras cidades que o irão integrar; Barcelona e Múrcia (Espanha), Lisboa (Portugal), Atenas (Grécia), La Valetta (Malta), Skopje (Macedónia), Zagreb (Croácia) e Suceava (Roménia).

Inicialmente serão desenvolvidas três ações piloto em três cidades que contam com um elevado fluxo de trânsito de motociclos convencionais. Deste modo, Génova, Florença e Barcelona irão receber um sistema partilhado de scooters elétricas, onde à posterior irá ser avaliada a aceitação e assim analisada a viabilidade da transferência do modelo testado para as restantes cidades aderentes.

Em particular o projeto pretende:

“Sensibilizar entidades públicas, operadores de transportes, operadores turísticos, universidades, empresas e público em geral para o desenvolvimento e utilização de meios de transporte sustentáveis (por exemplo, veículos elétricos e outros modos de transporte com reduzido impacto ambiental);

Incentivar a utilização de scooters elétricas em áreas urbanas, através de soluções de partilha (sharing), em regime de aluguer de curta duração;

Sensibilizar os residentes e turistas das áreas urbanas abrangidas pelo projeto, visando a alteração dos seus comportamentos diários, no sentido da adoção de soluções de transporte ambientalmente sustentáveis.”

Em Dezembro de 2015 Lisboa (Portugal) acolherá a conferencia final do projeto, onde não apenas serão apresentados os resultados nas três cidades piloto, mas também onde serão propostos os modelos de transferência para as restantes cidades.

Foto ¦ Eco Glady