Veículos eléctricos amigos do ambiente

Veículos eléctricos

Portugal tem mais de cinco milhões de automóveis a circular nas suas ruas, estradas e auto-estradas.  Estima-se que em 2010, cerca de 29% das emissões de CO2 emitidas para a atmosfera foram produzidas pelos transportes. Esses mais de cinco milhões de automóveis têm uma representação no consumo final de energia de mais de 30%.

Com a finalidade de reduzir a poluição atmosférica nas cidades, melhorando desta forma a qualidade de vida dos seus habitantes, a União Europeia desenvolveu um plano ambicioso que pretende diminuir o uso de veículos convencionais, gasolina e gasóleo, no interior das cidades, para metade até 2030 e na sua totalidade até 2050.

A grande aposta nos meados do século

Com a intensão de diminuir o transito de veículos de propulsão convencional até meados deste século, a União Europeia “força” os futuros compradores de automóveis a escolherem veículos de circulação limpa, ou seja veículos eléctricos a baterias, veículos eléctricos híbridos ou veículos a pilha de combustível.

A pensar nisto, existem cidades que se encontram já dotadas de equipamentos de fornecimento de energia eléctrica a veículos eléctricos, nomeadamente em parque de estacionamento de superfícies comerciais ou em pontos estratégicos das cidades, como seja por exemplo o Parque das Nações, em Lisboa.

A utilização de veículos eléctricos traz as vantagens de se poderem ter veículos não poluentes, mais silenciosos, custos operacionais mais baixos, reduzindo desta forma a dependência dos combustíveis petrolíferos.

Uma vez que estes veículos não produzem ruído, tornam-se, no entanto, um perigo eminente a peões invisuais. Seria interessante verificar que os novos veículos eléctricos viessem equipados com um sistema de alerta, através da emissão de um sinal para algum tipo de sistema que as pessoas invisuais transportassem consigo, na aproximação a uma passadeira.