Zona de coexistência turistica

Zonas de coexistência turistica

Com a última alteração ao Código da Estrada português, surgiu o conceito da “Zona de coexistência”, onde veículos e utilizadores vulneráveis utilizam o mesmo espaço na via pública, tendo no entanto prioridade esses utilizadores vulneráveis, peões e ciclistas.

Com esta introdução do novo conceito, que tão importante é para a segurança rodoviária urbana, partiu-se do principio que com ele surgia, também, sinalização adequada que informasse os condutores e os utilizadores vulneráveis da área abrangida pela “Zona de coexistência”.

 Coimbra turística e segura

Coimbra tem uma zona turística muito frequentada por turistas não apenas portugueses, mas essencialmente estrangeiros. Essa realidade faz com que hajam muitas zonas que se enquadram perfeitamente no conceito de “Zona de coexistência“, recentemente aprovado em regulamento.

Uma dessas “Zona de coexistência” é a Rua ferreira Borges, via calcetada e por onde circulam centenas de peões diáriamente. No entanto, também aí circula um pequeno autocarro dos SMTUC que serve a zona turística da cidade dos estudantes.

Uma vez que existe essa coexistência entre este veículo e os inúmeros peões e ciclistas que ocupam a área, era de todo pertinente que ali existisse sinalectica a indicar “Zona de coexistência”. Mas tal não é possível, uma vez que esse sinal, para além de não estar regulamentado, nem tão pouco está projectado.

Assim, e uma vez que neste período de férias de verão nem todos os portugueses rumam ao Algarve, mas sim procuram paragens mais culturais, assim como diversos grupos organizados de turistas, provenientes dos mais diversos cantos da Europa e do Mundo, solicita-se todo o cuidado no cruzamento com o respectivo autocarro, por parte dos peões, pois por parte dos condutores do mesmo essa é uma realidade.

“Coimbra tem mais encanto na hora da despedida…”, mas deseja aos seus visitantes uma boa estadia, divertimento e segurança rodoviária na “Zona de coexistência” turística.