Zonas de emissão reduzida e a poluição atmosférica

Zonas de Emissão Reduzida

As zonas de emissão reduzida, locais de acesso condicionado a veículos matriculados antes de 1992, começaram a ser implementadas, em Lisboa, no ano de 2011. Esta introdução de zonas de emissão reduzidas, conhecidas por ZER, teve como principio o desenvolvimento de uma estratégia que visa a diminuição da poluição atmosférica, melhorando assim os níveis da qualidade do ar.

No entanto, este condicionalismo não abrange os automóveis pesados de passageiro de transporte público nem os residentes nas respectivas áreas de habitação, assim como os veículos cuja data de fabrico seja inferior à estipulada, mas que no entanto tenham sido alvo de alterações técnicas, comprovadas, que garantam uma emissão de gases poluentes abaixo dos valores estipulados.

Vigilante automático de matriculas

Uma vez que o resultado foi positivo, a Câmara de Lisboa solicitou ao Centro Nacional de Proteção de Dados autorização para instalação de mais 11 cameras de vigilância automática de matriculas, em 11 novas vias urbanas para onde se pretende alargar a ZER. Estas cameras vão permitir efetuar uma leitura em tempo real das matriculas das viaturas que naquela zona circulem.

Estas cameras vão permitir identificar em tempo real se as viaturas estão matriculadas em data anterior a 1992, ou se , estando, possuem ou não equipamento que diminua a emissão de gases poluentes para a atmosfera. Uma vez que sejam detetados veículos em transgressão, será efetuada uma fotografia do mesmo e endereçada a informação à policia municipal que, por sua vez, irá entrar em contacto com os proprietários das viaturas e efetuar a respectiva autuação.

Actualmente as coimas aplicadas variam entre os € 24,94 e os € 124,70. segundo a autarquia lisboeta, as novas vias que vão receber os dispositivos de controle são; Av. da Liberdade, Av. Almirante Reis (sul), Av. 24 de Julho, Av. Infante Santo, Av. Eng. Duarte Pacheco, Rua de Campolide, Av. António Augusto Aguiar, Av. da Républica, Av. Almirante Reis /norte), Av. Eng. Arantes e Oliveira e Av. Infante D. Henrique após a “Fábrica Nacional”.

Foto: Alan Gavillet