Vale a pena encher os pneus com nitrogénio? (3)

Encher os pneus com nitrogénio

Vale a pena encher os pneus com nitrogénio? Hoje vamos terminar a nossa análise científica dos argumentos que se invocam a favor do enchimento dos pneus dos nossos carros com nitrogénio puro.

Os corredores da Fórmula 1 usam nitrogénio nos seus pneus de alto rendimento. Por alguma coisa será.

Numa palavra: errado. Ao contrário do que se possa argumentar, em competição, o uso do nitrogénio não é, de todo, comum. Pelo contrário, deve-se utilizar ar desumidificado. Os editores do Circula Seguro tiveram estas confirmações dos próprios representantes da Michelin, a quem comunicámos as nossas intenções de publicar estes artigos. E se há alguém que percebe de pneus e competição, é na Michelin de certeza.

O ar desumidificado utiliza-se essencialmente por dois motivos: primeiro, para cuidar de compostos delicados que são utilizados em competição. Repare que, apesar de se preocuparem em retirar a humidade, a presença do oxigénio não é prejudicial.

Por outro lado, o comportamento do vapor de água (humidade no ar) é muito diferente do de um gás ideal, o que dificulta o controlo da pressão ao aumentar a temperatura. E, lembremo-nos, os pneus de competição alcançam temperaturas muito superiores às normais, em circulação pública.

O oxigénio é deflagrante, pelo que a sua presença pode provocar incêndios.

Bem, nem tudo tinha que ser mentira. Isto é verdade, o oxigénio é um ingrediente indispensável para que se produza a combustão. Para além disso, a borracha do pneu é muito inflamável.

No entanto, a presença de oxigénio e de um material inflamável não é suficiente. Se fosse suficiente, os pneus pegavam fogo espontaneamente (e a madeira…e qualquer outro material que não seja à prova de fogo). Para provocar a deflagração, é necessária uma faísca. Neste caso, a única faísca possível é a temperatura que o interior da roda alcança.

Então vejamos: a temperatura que os pneus de um carro normal alcançam – e inclusive a de um veículo de competição – está longe de ser a suficiente para provocar a autoignição do pneu. Já viram algum veículo com as rodas a arder só por ir a uma grande velocidade? (Exceto o De Lorean, de McFly.)

O perigo de deflagração de um pneu que contenha oxigénio só é possível em pneus que estejam em condições realmente extremas, como por exemplo em aviões ou caminhos-de-ferro em contacto com pneus de borracha. Este é o único caso em que o uso de nitrogénio puro é realmente plausível.

DeLorean de Marty McFly

Encher as rodas com nitrogénio é muito barato.

Esta afirmação é bastante subjetiva. Depois de fazer uma pesquisa na internet, encontrei um serviço rápido que cobrava 3,75 euros por pneu. Não parece nenhuma fortuna, mas há que ter em conta que os supostos benefícios do nitrogénio só são reais se cada vez que a pressão seja revista, seja com nitrogénio. Isso significa que, eventualmente, terá que desembolsar alguns euros de poucos em poucos meses.

Sim, algumas oficinais têm a decência bondade de incluir as revisões sucessivas no preço inicial. Dessa forma, para além de visitarmos a oficina em vez de um simples posto de gasolina, até nos podemos sentir tentados para experimentar outros serviços.

O nitrogénio em si é muito barato. Por ser um resíduo de alguns processos industriais (por exemplo, no engarrafamento de oxigénio para usos médicos ou mergulho), obtém-se de forma gratuita, como subproduto. Claro que não é simplesmente oferecido aos clientes – há que contar com os custos de embalamento.

Algumas oficinas têm máquinas que filtram o nitrogénio diretamente do ar, através de um processo de osmose inversa, pelo que não pagam nada pela matéria-prima. Segundo o que vi na internet, o preço destas máquinas ronda os dois ou três mil euros. Isso significa, e tendo em conta o preço que vimos, que o investimento é amortizado depois de fazer o serviço em 200 carros (sem contar com os pneus sobressalentes).

Não podemos, no entanto, terminar esta análise ao preço do nitrogénio sem ressalvar que a alternativa é gratuita. Praticamente todos os postos de gasolina têm compressores de ar onde os condutores podem verificar a pressão dos pneus, sem nenhum esforço ou gasto adicional.

Verificar a pressão dos pneus

Então, vale a pena encher os pneus com nitrogénio?

Ao longo destes três artigos analisámos um número razoável de argumentos relativos ao enchimento das rodas com nitrogénio. Vimos, sempre com o livro de Física nas mãos, que a maioria desses argumentos é falsa, sendo que alguns são, até, ridículos. Para além disso, os poucos que têm algum fundamento científico produzem um efeito muito pequeno, quase impercetível.

A partir de agora, cada um pode retirar as suas conclusões, e gastar o seu dinheiro no que considerar a melhor solução. De qualquer das formas, use nitrogénio, ar normal, ou fumo de tabaco, o que lhe pedimos é simples: faça a revisão da pressão dos pneus com regularidade.

Em Circula Seguro: Vale a pena encher os pneus com nitrogénio? (1), (2)

Foto | Daniel ChanlievExfordy

 

  • Nuno José Almeida

    E fizeramalgum teste ciêntifo ao argumento de que o nitrogénio mantêm a pressão mais regular? Porque esse é que é o único argumento de venda e foi o único que não abordaram.