Extintor no carro. É recomendável?

incêndio

Imagine a seguinte situação: vai a conduzir e nota um forte cheiro a queimado. Para o carro na berma, põe o colete e vê fumo a sair do capô. «Não pode ser, o carro ainda agora estava ótimo!», pensa.
Manda sair toda a gente do carro, abre o capô, que começa a ficar bastante quente, nota um cheiro forte a queimado, fumo e umas pequenas chamas que saem detrás do motor, crescendo rapidamente. Não encontra nada para apagar o fogo e conclui que num minuto terá o carro a arder, podendo, inclusivamente, explodir.

A situação deixa-o paralisado, nem sequer consegue desbloquear o telefone, está tudo perdido.
De repente um camião de mercadorias para e o condutor, sem dizer uma palavra, sai, e em segundos apaga o fogo com um extintor que trazia nas mãos. Foi uma questão de sorte, haver alguém com os instrumentos necessários para o fazer.

Não é obrigatório ter um extintor num carro particular

Após várias horas, solucionado o assunto, depois de relaxar, questiona-se «como é que nunca me havia ocorrido levar um extintor no carro?». Vêm-lhe, então, à mente todos os lugares onde costuma ver o tal objeto vermelho… autocarros, táxis, camiões…
A Lei não obriga a ter extintor num veículo particular, mas claro que não há qualquer problema em levar um para uso próprio ou para ajudar em caso de ser testemunha de um fogo inicial noutro veículo pelo qual passemos.
incêndio

Porque arde um veículo?

A probabilidade de que se deflagre um incêndio num veículo moderno é muito baixa, mesmo em caso de acidente ou se o depósito for de gasolina, que é mais inflamável do que o gasóleo. A grande evolução na segurança automóvel faz com que seja muito difícil que um depósito de combustível estale, tal como costumamos ver nos filmes.
Pode iniciar-se um incêndio num veículo sempre que um material inflamável, como realmente são quase todos, toque num ponto muito quente. É difícil mas, na verdade, pode acontecer. O problema é quando o fogo faz aumentar rapidamente a temperatura das peças ao seu redor, queimando-as também. Produz-se uma propagação veloz, que em menos de um minuto se pode tornar incontrolável, até para os bombeiros.
Os carros, além disso, são construídos quase todos com materiais derivados do petróleo (plásticos, borrachas, espumas, tecidos sintéticos) que ao queimar-se provocam fumo altamente tóxico e irritante. Por isso, se não houver necessidade, os bombeiros esperam a uma distância de segurança até que o fogo tenha consumido grande parte dos materiais antes de intervir.

Uma bola de fogo em dois minutos

Como se deduz, uma vez detetadas as chamas, se não apagar o fogo nos momentos iniciais, o carro vai transformar-se numa bola de fogo em dois minutos, devido à rápida propagação do mesmo.
Um pequeno extintor bem utilizado durante o primeiro minuto após o início do fogo, é muito mais eficaz do que um carro de bombeiros dez minutos depois.
Os especialistas indicam que os piores incêndios num carro são os que começam no habitáculo, ao contrário do que possa pensar. Isto, dada a grande quantidade de material combustível existente: tapetes, borrachas, plásticos e espumas dos bancos.

É importante entender que é preciso dar prioridade absoluta a pôr a salvo todas as pessoas, que devem estar fora, afastadas, antes de tentarem apagar o fogo.
incêndio

Serve de alguma coisa ter um extintor?

Há pessoas relutantes em ter um extintor no carros, porque pensam que não serve para nada diante da grande carga combustível que há num carro. Isto é certo, depois de o fogo se propagar, mas não se pode esquecer de que é nos primeiros instantes que, em qualquer incêndio, é útil ter um extintor.
Os extintores «de mão» e especialmente os que se instalam em automóveis, têm, de facto, muito pouca capacidade e a descarga não dura mais do que dez segundos. É por esse motivo que é importante acertar na base das chamas desde o primeiro momento, aproximando a boca de saída do extintor o mais possível que o calor deixe antes de o acionar. Se deixar o gatilho puxado de forma contínua, o mais certo é que ao fim de 10 segundos tenha o extintor vazio nas mãos e o carro continue a arder.

O que fazer quando acontece?

Este artigo não tem a intenção de explicar como é que se apaga um incêndio, mas sim de consciencializar para a conveniência de ter um extintor no carro. Não obstante, os especialistas explicam o que deve fazer em caso de ter de atuar num incêndio de um veículo:
1- Estacionar a uma distância prudente do ponto do incêndio, se não for o seu carro.
2- Chamar o 112
3- Antes de sair do carro, colocar o colete refletor para evitar ser atropelado
4- Utilizar o extintor o mais próximo possível das chamas, sem risco de se queimar, premindo o gatilho de forma curta
5- Se o fogo estiver no moto, abrir o capô com cuidado, pois pode sair uma labareda

incêndio

Que extintor comprar?

Se for possível, o mínimo recomendável é um extintor de pelo menos 2 kg.

Onde instalar?

Dada a rapidez com que tem de atuar em caso de incêndio, o melhor é que esteja ao alcance do condutor. Por baixo do assento, por exemplo, mas sempre convenientemente seguro para que não se solte indevidamente. Em caso de preferir levá-lo no porta-bagagens, também deve garantir que vai preso e que está à vista e à mão quando abrir a mala. Não lhe vai servir de nada se ficar perdido no meio da bagagem ou muito menos no compartimento da roda, pois são segundo cruciais que irá perder a encontrá-lo.

incêndio

Não é obrigatório ser herói

Levar um extintor no carro não lhe dá obrigação de ser um heróis ou heroína se for testemunho do início de um incêndio. Pode simplesmente dar o extintor a outra pessoa caso não se sinta capaz de o fazer bem. Lembre-se que só serve para chamas pequenas. Em caso contrário o melhor que pode fazer é ajudar a pôr toda a gente a salvo, para que ninguém inale fumo, que até pode ser mais perigoso do que as próprias chamas.

Imagens| iStock Imantsu , icepod , balipadma , surkov dimitri

Fonte|Circulaseguro.com