Como conduzir numa zona da estrada repleta de folhas húmidas?

Concerteza que já parou o carro para contemplar as almofadas de tons ocre que decoram de forma involuntária os passeios e as estradas do país. São maravilhosas as paisagens que nos deixam os amontoados de folhas caídas nas estradas durante estes meses do ano, mas é preciso ter muito cuidado ao conduzir sobre essas folhas no asfalto. A sua capacidade para fazer resvalar um veículo que circula é grande.

Esta situação pode não parecer totalmente óbvia, mas às vezes colocamos o “piloto” automático e não ficamos conscientes de alguns perigos invisíveis que ocorrem ao nosso lado, nem sequer percebemos a situação de risco que corremos, basicamente podem ser tão ou mais perigosos que outros que são mais percetíveis.
Se por um lado estamos conscientes da chuva e dos seus perigos, como o aquaplaning, o gelo, a chuva ou o nevoeiro, por outro não estamos conscientes dos cuidados que nos merece uma estrada “forrada” a folhas que se torna tão escorregadia como a água, a neve ou o gelo.
A humidade sobre as folhas provoca que o seu caráter deslizante aumente, levando a que rolemos sobre um espécie de barro que pode provocar um perda significativa da aderência dos pneus.

Como conduzir com folhas no asfalto

Como em qualquer circunstância, é prioritário manter uma correta distância de segurança. É conveniente deixar espaço para o veículo que nos precede de forma a podermos reagir com tempo. No caso de ser preciso realizar uma travagem brusca e consequentemente perder-se a tração por culpa das folhas caídas, os movimentos do volante devem ser suaves, tal como a utilização do pedal de travão e do acelerador.
Como sempre, em situações de risco, deverá manter-se em estado de alerta para o ajudar a travar e a traçar uma linha o mais adequada possível de forma a evitar obstáculos. Em movimento, existe um excesso de pressão sobre o pedal de travão que pode levar à perda de tração das rodas que pisam as folhas, provocando um movimento de descontrolo do veículo.
É preciso anteciparmo-nos e traçar uma linha limpa de obstáculos. Devemos evitar, na medida do possível, pisar folhas de árvores.
Orientar o volante de forma progressiva e com uma velocidade moderada, potenciará uma maior eficácia na aderência das rodas e a repercussão no caso de sentir uma perda do controlo do veículo será menor.

Precaução também em cidade

As rudas da cidade também não estão imunes a este perigo. Como descrevemos no início deste artigo, as calçadas são ideais para colecionar montes e montes de folhas que depois acabam por “voar” para a estrada acumulando-se precisamente nas zonas onde os veículos passam de forma frequente.
Nas zonas urbanas, será preciso tomar especial atenção com veículos de duas rodas, as motos e as bicicletas, às quais se somam nos últimos meses as trotinetes elétricas destinadas à mobilidade individual.
Possuir duas rodas, sendo uma delas motriz, torna especialmente perigoso a circulação sobre este tipo de piso. É preciso saber reforçar o equilíbrio. Dirigir a transmissão da potência para uma só roda faz com que a outra possa ficar sem “controlo” no caso de passar por cima de uma superfície escorregadia.
Por isso, os conselhos para conduzir sobre folhas caídas podem ser ainda importante no caso de conduzir um destes veículos.

Foto: Pixabay