Artigos na etiqueta Avaria mecânica

Quando o turbo avaria

Turbo

Um turbocompressor, ou simplesmente turbo, força o ar a entrar na câmara de combustão de um motor para “torna-lo” mais potente. A instalação desta peça melhora o desempenho e aumenta a velocidade máxima e aceleração. Mas um turbo defeituoso pode levar a reparações caras.

Há uma série de sinais de alerta que indicam que é hora de substituir, ou na melhor das hipóteses reparar um turbocompressor. Estes sinais podem ajudar os proprietários de veículos com este tipo de motores (que atualmente são a maioria) a evitar perda de tempo e despesas. Ler mais…

Os órgãos do motor que mais avariam

Todo o automobilista com alguns anos de experiencia já lidou com avarias nos seus carros. Umas podem ser mais graves, outras mais simples, mas são todas sempre aborrecidas e algumas muito dispendiosas.

O motor, como principal órgão de qualquer veículo, acaba por ser o que acarreta mais despesas de reparação quando algum componente avaria, felizmente que as técnicas de construção e a tecnologia empregue tem reduzido a frequência das avarias e a gravidade das mesmas. Saiba mais sobre os órgãos do motor que avariam com maior frequência. Ler mais…

Chamou a Assistência na Estrada? Conselhos enquanto espera

Assistência na Estrada

O asfalto queima sob o Sol. Não há ninguém nos cem quilómetros em redor. A família começa a estar cansada da viagem, mas ainda faltam algumas horas para chegar ao destino. De repente, o automóvel faz um ruído estranho e para. Depois de abrir o capô e constatar que não faz a mínima ideia do que aconteceu, o condutor usa o telemóvel para pedir ajuda. O Sol queima e dentro do automóvel as crianças já não aguentam nem mais um minuto sem desatar a chorar.

Pode existir uma situação mais frustrante? Sim! Um mau serviço de assistência na estrada. Por isso, convém que tenha presente alguns conselhos, esperando nunca ter de vir a necessitar deles:

Ler mais…

As estrada em mau estado, o consumo e a manutenção

Manutenção das estradas

Algum tempo atrás aconteceu-me um caso surpreendente. Digamos que, para ir do ponto A ao ponto B (cerca de 25 km) podia escolher entre dois caminhos. O primeiro é uma estrada com bom asfalto e em que você pode manter uma velocidade mais ou menos constante de 90 km/h, com relativa facilidade.

A segunda opção, uma estrada secundária com o piso destruído pela passagem de centenas de camiões diários, com muitas curvas, mas onde também pode ser mantida uma velocidade mais ou menos constante de cerca de 60 km/h.

Ler mais…